Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Xavi recusou convite para ser auxiliar de Tite na seleção brasileira

De acordo com o diário espanhol 'As', ídolo do Barcelona também rejeitou proposta do Borussia Dortmund e pode assumir vaga de Koeman no clube catalão

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 18 Maio 2021, 20h59 - Publicado em 18 Maio 2021, 19h54

O técnico espanhol Xavi Hernández, atualmente no Al-Sadd, do Catar, é um dos nomes mais badalados da janela de transferências do futebol. O ex-jogador do Barcelona chegou a receber, e recusar, um convite da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para ser o auxiliar de Tite.

Segundo informações desta terça-feira, 18, do diário espanhol AS, Xavi recebeu convite para ser auxiliar do Brasil até a Copa de 2022 e, na sequência, assumir o posto de treinador principal da seleção brasileira. Procurada por PLACAR, a CBF confirmou que o contato existiu, mas negou o convite para que Xavi assumisse a seleção principal.

“É verdadeira a notícia que aconteceram conversas preliminares entre a CBF e o ex-jogador e atual treinador Xavi para assumir o posto de auxiliar técnico da Seleção Principal. Nenhum detalhe de maior profundidade como valores, prazos de contrato nem garantias sobre seu futuro profissional foram negociados. Os diálogos aconteceram com o conhecimento e aprovação do coordenador Juninho Paulista e do técnico Tite e seriam levados adiante após conversas entre Tite e Xavi”, informou a CBF.

  • Ainda segundo a publicação espanhola, Xavi também recusou convite para ser o treinador do Borussia Dortmund. Aos 41 anos, o ex-jogador, campeão do mundo com a seleção espanhola em 2010, é o principal cotado para assumir o Barcelona na próxima temporada, no lugar do holandês Ronald Koeman, que deve ser demitido.

    Xavi atuou pelo Barcelona de 1998 a 2015, quando se transferiu para o próprio Al-Sadd. Em 2019, ele deixou os gramados para assumir o comando do time do Catar, pelo qual conquistou uma liga e uma Copa local. O espanhol tem contrato até junho de 2023, mas possui uma cláusula de liberação exclusiva em caso de convite do Barcelona.

    Neymar e Xavi
    Neymar e Xavi, na final da Copa das Confederações de 2013 Laurence Griffiths/Getty Images
    Continua após a publicidade
    Publicidade