Clique e assine a partir de 9,90/mês

Votos para sede da Copa de 2026 serão abertos

Fifa quer evitar a falta de transparência durante as escolhas das sedes de 2018 e 2022

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 7 nov 2017, 19h40 - Publicado em 7 nov 2017, 18h58

Depois de problemas nas votações para as Copas do Mundo de 2018 e 2022, a Fifa confirmou nesta terça-feira que os votos na eleição para escolher a sede do Mundial de 2026 serão abertos. A decisão faz parte de uma cartilha para explicar todo o processo eleitoral. No documento, a Fifa definiu os critérios para a participação dos países interessados em se candidatar ao pleito de 2026. Uma das regras exige respeito aos direitos humanos e legislação trabalhista nas obras de estádios e de estruturas relacionadas à Copa.

Fifa espera rebater as críticas às eleições e aos trabalhadores envolvidos em obras. No primeiro caso, é uma iniciativa para aumentar a transparência nas eleições, o que não ocorreu nos pleitos que elegeram a Rússia e o Catar como sedes dos Mundiais de 2018 e 2022. As duas votações foram simultâneas, no fim de 2010, e originaram denúncias de compra de votos.

Em relação aos direitos humanos, a medida é para evitar acusações de más condições de trabalho dos operários que erguem os estádios, como no Catar, para o Mundial de 2022. Houve denúncias de abusos e mortes nas obras – como os registrados no nas obras do Brasil, sede da Copa de 2014.

A Copa de 2026 tem como principais candidatos a sede a opção tripla entre Estados Unidos, Canadá e México, e também o Marrocos. Essa será a primeira Copa com 48 participantes, com 16 grupos de três seleções na primeira fase, classificando os dois melhores para a fase eliminatória.

Publicidade