Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Vídeo: ‘Quero esse ouro para mudar de vez o futebol feminino’, diz Formiga

Em entrevista exclusiva a PLACAR, experiente jogadora contou o desejo pela conquista; estreia da seleção será contra a China na madrugada desta quarta, 21

Por Alexandre Senechal Atualizado em 20 jul 2021, 11h12 - Publicado em 20 jul 2021, 09h57

Aos 43 anos, Miraildes Maciel Mota, a Formiga, ainda sente que lhe falta algo no currículo repleto de marcas históricas. Ninguém, entre homens e mulheres, conseguiu disputar sete Copas do Mundo (1995, 1999, 2003, 2007, 2011, 2015 e 2019) e sete Olimpíadas (1996, 2000, 2004, 2008, 2012, 2016 e 2021), mas ela ainda deseja a conquista de uma inédita medalha de ouro para a seleção brasileira feminina. O time comandado pela sueca Pia Sundhage estreia contra a China na madrugada desta quarta-feira, 21, às 5h (de Brasília).

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

“É possível ganhar o ouro. Batemos na trave duas vezes, mas espero ganhar agora, porque é minha última Olimpíada. Quero trazer esse ouro para o Brasil e mudar de vez o futebol feminino”, disse em entrevista a PLACAR.

“Você imagina a gente ganhando esse ouro? O futebol feminino não vai desaparecer, como foi após as duas pratas. A gente achou que ia evoluir e parece que tiraram o futebol feminino do mapa. É doloroso lutar tanto em campo e as pessoas não valorizarem. Só quero respeito e reconhecimento. Chegando a esse ponto, será hora de parar”, acrescentou em outro trecho.

Continua após a publicidade
  • Ao lado de Claudinho – do Red Bull Bragantino, convocado para a seleção masculina –, Formiga foi capa da edição de julho da revista que já está nas bancas de todo o país e disponível em nossas plataformas digitais para dispositivos iOS e também Android. Esta será a sua última chance de conquistar o ouro.

    “Sim [será o meu último ato]. Daqui a pouco o povo vai querer me tirar, então é melhor sair antes que isso aconteça”, contou.

    Formiga também quebrou barreiras. Falou sobre a história da própria infância quando apanhava dos irmãos por jogar bola na rua, a superação do preconceito e do homossexualismo na modalidade. Confira a entrevista na íntegra e se inscreva em nosso canal no Youtube.

    Continua após a publicidade
    Publicidade