Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vicini, técnico da Itália na Copa de 1990, morre aos 84 anos

Aposentado desde 1994, Azeglio Vicini comandou as "noites mágicas" que marcaram campanha italiana no Mundial em casa

Por Estadão Conteúdo 31 jan 2018, 11h46

A Federação Italiana de Futebol confirmou nesta quarta-feira a morte do ex-técnico Azeglio Vicini, aos 84 anos. Foi ele quem conduziu a seleção da Itália ao terceiro lugar na Copa do Mundo de 1990, realizada no próprio país. A entidade informou que Vicini morreu na cidade de Brescia. A causa da morte não foi divulgada.

Vicini foi o treinador da seleção italiana entre 1986 e 1991 e também conduziu a equipe até as semifinais da Eurocopa em 1988. Dois anos depois, a seleção italiana só foi derrotada na Copa do Mundo na disputa de pênaltis contra a Argentina, liderada por Diego Maradona, nas semifinais. A campanha da Itália ficou marcada pelas “noites mágicas” que uniram novamente torcida e seleção da Itália.

  • “Ele foi um homem extremamente importante para a minha vida no futebol”, disse Salvatore “Toto” Schillaci, artilheiro da Copa do Mundo de 1990 com seis gols. “Ele me tornou conhecido em todo o mundo. Acreditava em mim e se eu sou o que sou, 80% do mérito pertence ao técnico Vicini. Espero que o mundo do futebol o lembre como ele merece ser lembrado. Ele foi um treinador de outra era, um verdadeiro profissional, e os conselhos que ele me dava eram de pais”, completou.

    A federação informou que um minuto de silêncio em homenagem a Vicini será realizado antes da partida desta quarta-feira entre Milan e Lazio, pelas semifinais da Copa da Itália, e também em todos os jogos do Campeonato no próximo fim de semana.

    Vicini deixa esposa e três filhos. Ele também atuou como jogador profissional, com passagem de destaque pela Sampdoria, e sua última experiência como técnico foi na Udinese, entre 1993 e 1994.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade