Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Vergonha e injustiça’: os protestos de Mano, Dedé e diretoria do Cruzeiro

Clube mineiro emitiu nota de repúdio contra arbitragem na Bombonera e prometeu acionar a Conmebol para anular a suspensão de Dedé

A expulsão do zagueiro Dedé, após choque acidental com o goleiro Andrada, na derrota por 2 a 0 para o Boca Juniors, pelas quartas de final da Copa Libertadores, revoltou atletas e dirigentes do Cruzeiro.

Logo após a partida desta quarta-feira na Bombonera, o clube emitiu uma nota de repúdio e prometeu ir à Conmebol para protestar contra o erro do árbitro Eber Aquino, que utilizou o recurso de vídeo para dar o cartão vermelho a Dedé, e para pedir a anulação da suspensão do defensor.

Além dos atletas e do técnico Mano Menezes, ídolos do clube mineiro, como Alex e o argentino Juan Pablo Sorín também se manifestaram nas redes sociais. Confira, abaixo, a repercussão do lance:

Dedé, zagueiro do Cruzeiro

“Tentei socorrer, parar o jogo, nem me preocupei com contra-ataque. Eu não senti dor na cabeça, eu estava com a cabeça baixa. A gente fica preocupado é que com toda tecnologia, tantos lances de cabeça, o juiz expulsar, deixar nosso time comprometido, um campeonato difícil. Achei que ele tinha falado que eu dei uma cotovelada, fiquei na dúvida. Como eu vou ter maldade com a cabeça? O árbitro comprometeu muito, prejudicou nossa equipe. Não tiro os méritos do Boca, mas nosso time estava crescendo no jogo, ele fez. Facilitou a vitória para o Boca. Até os jogadores do Boca ficaram assustados, eles mesmo não entenderam, perguntaram o que tinha acontecido.”

“Tem que rever a situação. Eu não fui na maldade. Peço desculpas de coração ao goleiro, não vi, tentei falar com ele, mas ele estava atordoado. Quero expressar minha solidariedade, eu não sou maldoso. O Cruzeiro vai correr atrás desta situação. Desde 2010 não sou expulso, sou um jogador que menos faz falta. Se ele tivesse me dado amarelo já estaria errado demais. Estou muito chateado.”

Mano Menezes, técnico do Cruzeiro

“Não preciso falar da expulsão, o mundo inteiro está falando sobre isso. Eu achei que as coisas iriam mudar na Conmebol. Em 2007 já tomei gol aqui com três jogadores impedidos. Mudaram-se as direções, o comando, agora viemos com VAR, seria usado para não ter grandes injustiças. Hoje vimos mais uma injustiça. (…) Ninguém no campo achou que era para expulsão, nem os jogadores do Boca acharam. Tanto que eles pensaram que pudesse ser algo contra eles. O árbitro tomou a decisão, ele é o grande culpado.”

Cruzeiro, em nota oficial

“O clube considera que o juiz paraguaio Eber Aquino, por ato deliberado, praticou uma das maiores, mais lesivas e equivocadas decisões já tomadas na história do futebol, uma vez que o árbitro mesmo tendo a oportunidade de consultar o VAR no lance do jogo, conseguiu tomar uma decisão flagrantemente contrária ao que foi registrado pelas imagens.”

“É imprescindível que a Conmebol determine a abertura de investigação formal contra esse flagrante e imponderável atentado contra o futebol brasileiro. A cúpula celeste informa, também, que está estudando as melhores opções para ingressar à Conmebol na busca por amenizar o tamanho prejuízo técnico decorrido da expulsão de Dedé, inclusive buscando por medidas judiciais contra os autores desta covardia.”

Itair Machado, vice-presidente de futebol

“O Cruzeiro vai tomar medidas cabíveis juridicamente, foi flagrante o que aconteceu. Em 2014, teve um jogador que a Conmebol absolveu um cartão vermelho. Então, o Cruzeiro vai pleitear isso para não ser prejudicado duas vezes (…) Se não houve má-fé, má-intenção, se não houve roubo, que se conserte o erro do juiz. Isso o presidente da Conmebol tem que fazer. Em tempos em que muita gente da Conmebol foi presa, eles têm que provar se foi roubo ou se foi erro. O presidente da Conmebol tem poder para interferir e mandar anular o cartão do Dedé. Se foi roubo, eles não vão fazer isso. Se foi erro, eles vão fazer. Aí fica a nossa dúvida.”

Edílson, lateral do Cruzeiro

“O juiz comprometeu muito. Não vi intenção do Dedé de dar cotovelada ou algo assim. Houve um choque, mas nada que justificasse a expulsão.”

Henrique, capitão do Cruzeiro

“Perguntei ao juiz o motivo que levou ele a expulsar o Dedé. Há um choque, claro. O goleiro estava sangrando e ele foi ver o VAR. Mas foi um choque. Ele falou que olhou a imagem, mas o Dedé não vai para atacar o goleiro. Ele ataca a bola.”

Sorin, ex-jogador do Cruzeiro

“A expulsão do Dedé é absurda e desequilibrou. Independentemente do VAR, a interpretação para o cartão vermelho é ridícula. Boca jogou melhor que o Cruzeiro, muito impreciso e sem criação. Erros defensivos nos dois gols (saída ruim no primeiro e desarme ruim no segundo). Força e boa recuperação para Andrada. Antes de mais nada, está a saúde dos companheiros. Conheço o Dedé e sei que não é maldoso”

 

Alex, ex-jogador do Cruzeiro

Tinga, ex-jogador e dirigente do Cruzeiro

“Uma das maiores injustiças num campo de futebol a expulsão do melhor zagueiro do Brasil, revoltante uma vergonha.”

(com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)