Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Uruguai vence, avança e medirá forças com a Rússia

Gol de Suárez garantiu vitória sobre Arábia Saudita; na terceira rodada, uruguaios e russos decidem o primeiro lugar do Grupo A

Como na estreia contra o Egito, vencida nos últimos minutos, o Uruguai cumpriu sua missão com um desempenho ruim. Superou a fraca Arábia Saudita apenas por 1 a 0, o suficiente para garantir sua classificação às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. O resultado também garante os anfitriões na próxima fase. O duelo entre uruguaios e russos, na segunda-feira (25 de junho), às 11h, definirá o líder do Grupo A — ambos têm seis pontos. No mesmo dia e horário, sauditas e egípcios se despedem do Mundial.

A missão de treinar da Arábia Saudita não é fácil. Exposto pelas críticas públicas do dirigente saudita Turki Al-Sheikh, após a goleada sofrida para a Rússia, Juan Antonio Pizzi promoveu quatro mudanças — entre elas a saída do goleiro Al-Muaiouf e do atacante Al-Sahlawi, craque do time. Recado claro (e punitivo) para quem sofreu cinco gols e quem não conseguir marcar, apesar do status de maior artilheiro das Eliminatórias para o Mundial (dezesseis gols), ao lado do polonês Robert Lewandowski. Os substitutos, entretanto, falharam. O goleiro Al-Owais saiu desastrado em um cruzamento e Luis Suárez escorou a bola para o gol livre, aos 23 minutos do primeiro tempo. Já o centroavante Al-Muwallad não fez uma finalização sequer. Outro promovido a titular, o meia-atacante Hatan Bahbir mandou para fora a melhor chance saudita, aos 28.

Pelo lado uruguaio, as alterações também não surtiram o efeito esperado. Os novos titulares Carlos Sánchez e Cebolla Rodríguez deixaram a Celeste mais lenta — e a dupla Suárez e Cavani isolada. O colega de ataque de Neymar no Paris Saint-Germain inverteu seu papel, aos dezessete do segundo tempo: saiu da área e fez bonito cruzamento para Sánchez, livre, cabecear por cima do gol. Cavani só teve papel de centroavante aos 35, quando desviou chute de Torreira e a bola passou à direita da meta saudita. Seis minutos depois, insistiu em arrancada abafada por Al-Owais. Sempre lutando, sem passe dos meias. Se os prognósticos apontavam o Uruguai favorito no Grupo A, a realidade traz uma empolgada Rússia, com futebol mais vistoso e com a vantagem do empate para avançar em primeiro. Boa oportunidade para os sul-americanos tentarem fazer um jogo convincente.

Ponto alto

Levando-se em consideração o tamanho da bronca pública e oficial pós-goleada da estreia, os jogadores sauditas não poderão dessa vez ser acusados de “falta de esforço”, como disse o presidente da Autoridade Esportiva Geral da Arábia Saudita, Turki Al-Sheikh, em nome do príncipe herdeiro Mohammad Al-Saud. Correram muito, mas são fracos mesmo.

Ponto baixo

Óscar Tabárez já tentou De Arrascaeta, Nández, Cebolla, Sánchez, Laxalt. O meio de campo uruguaio não consegue criar situações para seus brilhantes atacantes finalizarem. Os dois gols celestes até aqui foram de bola parada. Muito pouco.

Ficha do jogo

Uruguai 1 x 0 Arábia Saudita
Local: Arena Rostov. Árbitro: Clement Turpin (FRA). Público: 42.678. Gol: Suárez, aos 23 do primeiro tempo.
Uruguai: Muslera; Varela, Giménez, Godín e Cáceres; Vecino (Torreira), Betancur, Carlos Sánchez (Nández) e Cebolla Rodríguez (Laxalt); Suárez e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.
Arábia Saudita: Al-Owais; Al-Burayk, Osama Hawsawi, Al-Boleahi e Al-Shahrani; Al-Faraj, Ateef, Al-Dawsari, Al-Jassim (Al-Moqhawi) e Hatan Bahbir (Kanno); Al-Muwallad (Al-Sahlawi). Técnico: Juan Antonio Pizzi.