Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Um ano inesquecível neste século: São Paulo

Nesta série, PLACAR traz um ano inesquecível neste século para cada um dos 12 grandes clubes brasileiros

2005
foi um ano para o São Paulo renascer. Com uma equipe redondinha, montada por
Cuca em 2004, a equipe estava pronta para brilhar naquele inesquecível ano de
2005.

O ano começou com Émerson Leão no comando no São Paulo. Com ele,
o Tricolor venceu o Campeonato Paulista por pontos corridos. No dia 3 de abril,
após empate sem gols com o Santos na Vila Belmiro. No fim, com sete pontos de
vantagem sobre o vice-campeão Corinthians e com apenas duas derrotas, o
Tricolor conquistou o estadual.

Ainda com Leão, o São Paulo se classificou bem na 1ª fase da
Copa Libertadores. O Tricolor foi primeiro colocado do grupo 3, com três
empates e três vitórias. Contudo, ainda durante a primeira fase do torneio,
Leão deixou o São Paulo para treinar o Vissel Kobe, do Japão, alegando uma
dívida de gratidão com o presidente do clube japonês. Assim, Paulo Autori
assumiu a equipe.

Com a quinta melhor campanha de um primeiro colocado, o clube foi
colocado para enfrentar o Palmeiras nas oitavas de final do torneio. O clube
passou pelo Verdão com duas vitórias. Contra o Tigres, nas quartas de final,
goleou em São Paulo e perdeu no México por apenas 1 x 2, garantindo vaga na
semifinal.

Nesta fase o rival era o River, que prometia ser difícil. Só
prometia. O Tricolor venceu em casa por 2 x 0 e ainda venceu na Argentina por 3
x 2, garantindo vaga na final contra o Atlético-PR, na 1ª final da história com
clubes do mesmo país.

No primeiro jogo da final, no Beira-Rio, em Porto Alegre, os
times empataram em 1 x 1. Já na partida de volta, no Morumbi, o Tricolor venceu
bem, por 4 x 0, ficando com a taça.

Sem pretensões no Brasileiro, o clube fez uma campanha mediana e
terminou em 11° no Brasileiro, com uma campanha bem abaixo do que estava
costumado a fazer. A grande pretensão do clube era o Mundial de Clubes. 

Na Copa Sul-americana, o clube caiu logo na primeira rodada,
diante do Internacional, com derrota de 1 x 2 em Porto Alegre e empate em 1 x 1
no Morumbi.

Por fim, no Mundial, o clube teve pela frente o Al-Ittihad-ARA.
Um jogo que parecia ser difícil, foi dificílimo. Com dois gols de Amoroso e um
de Rogério Ceni, o Tricolor venceu por 3 x 2 e chegou à decisão do torneio,
contra o então favorito Liverpool. Mas os brasileiros foram mais competentes
que os ingleses e venceram por 1 x 0, com um gol solitário e chorado de
Mineiro, que tornou-se uma figura história no clube, tricampeão mundial.

GRANDE FORÇA

Elenco estruturado, montado previamente: O elenco
do São Paulo começou a ser montado em 2003. Se estruturou em 2004 e foi
finalizado em 2005, com perfeição. A dupla de zaga funcionava. A dupla de
volantes (Mineiro e Josué) era considerada a melhor do Brasil, os meias
oganizavam o time com sucesso e os atacantes fizeram o time ter uma média de
gols incríveis neste ano.

PERSONAGEM

Rogério Ceni: Não poderia ser outro. Ceni era
o capitão e o comandante desta equipe. Além de fazer gols importantes no ano,
ainda fez uma partida brilhante contra o Liverpool na final do Mundial,
conquistando assim a taça mais importante do clube no ano.

GRANDE JOGO

18/12/2005 – São Paulo 1 x 0 Liverpool: O jogo
que finalizou o ano e coroou a temporada perfeita. Mineiro marcou com 27
minutos da primeira etapa e o Tricolor segurou um agressivo Liverpool, que
parou nas mãos de Rogério Ceni, o capitão que foi eleito o melhor em campo e
levantou a taça para o time neste dia.

TÍTULOS

– Campeonato Paulista

– Copa Libertadores

– Mundial de Clubes

CAMPANHA

79 jogos, 41 vitórias, 18 empates e 20 derrotas – 166 gols pró e
107 gols contra – 59,5% de aproveitamento