Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Um ano inesquecível neste século: Palmeiras

Nesta série, PLACAR traz um ano inesquecível neste século para cada um dos 12 grandes clubes brasileiros

O Palmeiras teve anos bem complicados neste século. Rebaixado duas vezes, o clube parece estar entrando nos moldes apenas em 2015. Contudo, em um ano, a equipe brilhou bastante.

2008 começou positivo para o Verdão. Uma parceria com a Traffic ajudou o Verdão a montar seu novo elenco, sob comando de Vanderlei Luxemburgo. O elenco começou a ser montado no começo do ano. A chegada de Diego Souza, que era disputado por diversos clubes, mostrou que Palmeiras e Traffic não estavam de brincadeira. No elenco que já vinha de 2007, Valdívia aparecia crescendo e viveria seu melhor ano.

Contudo, nem tudo começou bem. No início do Campeonato Paulista, o Verdão tropeçava. Na sétima rodada, o clube entrava na série de três derrotas seguidas, terminando com um 0 x 3 contra o Guaratinguetá. Mas essas foram as únicas derrotas do Verdão nessa primeira fase. Na sequência, o clube cresceu e chegou ao segundo lugar na classificação geral. O adversário na semifinal seria o São Paulo.

Na primeira partida, no Morumbi, o Verdão caiu com uma derrota de 1 x 2, com um gol de mão do atacante Adriano, para o São Paulo. O resultado não era dos piores. Uma vitória simples, no Palestra Itália, no jogo de volta, daria a vaga ao Verdão. E em um jogo polêmico e molhado (pela chuva), o Verdão venceu por 2 x 0 e foi para a final com muito favoritismo contra a Ponte Preta.

Na decisão, o Verdão venceu em Campinas por 1 x 0, gol de Kléber. Para o jogo da volta, derrota por um gol daria título ao clube paulistano. Contudo, o Palmeiras fez 5 x 0 e foi campeão, além de levar Alex Mineiro à artilharia.

Na Copa do Brasil, o Verdão começou bem, mas perdeu o torneio ao dar mais valor para o Campeonato Paulista. Passou por CENE e Central, na primeira e segunda fase, vencendo apenas o jogo de ida por 2 x 0 e 5 x 1. Com isso, o clube classificou-se para as oitavas de final, onde enfrentaria a forte equipe do Sport.  O empate em 0 x 0 no jogo da ida, no Palestra Itália, já ser o sinal de que a vaga seria complicada. Jogando no Recife, a derrota por 1 x 4 eliminou o Verdão e deixou a equipe pernambucana com caminho aberto para o título.

No Campeonato Brasileiro, o Verdão fez boa campanha. Chegou a liderar o torneio, mas acabou caindo no fim. Uma derrota de 0 x 1 para o Grêmio no Palestra Itália, em que Marcos, ainda com 30 minutos da segunda etapa ia para a área do adversário tentar fazer gol de cabeça, marcou o fim do sonho palmeirense pelo título. Contudo, o clube ficou no quarto lugar e se classificou para a Copa Libertadores de 2009.

Na Sul-americana o Palmeiras também deu pouco valor. Poupou a equipe e até o técnico Vanderlei Luxemburgo, que no jogo contra o Argentinos Juniors, na Argentina, ficou no Brasil e comentou o jogo ao vivo, na TV, enquanto passava informações por rádio. No torneio, o Palmeiras passou por Vasco e Sport Ánchash-PER na primeira e segunda fases. Contudo, com derrotas em casa e fora, para o Argentinos Juniors-ARG, o clube caiu nas quartas de final.

GRANDE FORÇA

Elenco reforçado e treinador campeão: Com Vanderlei Luxemburgo, e um elenco reforçado com relação a 2007, o Palmeiras entrou forte em 2008, bringando por todos os campeonatos que disputou. O “projeto” de Luxemburgo deu certo e, apesar de ficar com apenas um título no ano, a equipe classificou-se para a Copa Libertadores.

PERSONAGEM

Diego Souza: Não só pelo futebol jogado, mas pelo que significou sua contratação. Foi quase como um Dudu de 2008. O Palmeiras, junto com a Traffic, venceu a disputa contra outros clubes e levou o meia, que brilhou pelo Verdão naquele ano.

GRANDE JOGO

20/04/2008 – Palmeiras 2 x 0 São Paulo: A semifinal do Campeonato Paulista foi quase como uma final. O jogo com muita chuva significou o resgate da moral palmeirense, que estava abalada por eliminações contra o rival nos anos anteriores. Contudo, Léo Lima e Valdívia fizeram a festa em um Palestra Itália lotado.

TÍTULOS

– Campeonato Paulista

CAMPANHA

71 jogos, 38 vitórias, 14 empates e 19 derrotas – 113 gols pró e 74 gols contra – 60,1% de aproveitamento