Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tite não garante Brasil na Copa América e admite desconforto de atletas

Treinador afirmou que comissão técnica e jogadores externaram sua posição à direção da CBF e o farão a público "no momento oportuno", após as Eliminatórias

Por Da Redação Atualizado em 3 jun 2021, 22h17 - Publicado em 3 jun 2021, 21h00

O técnico Tite deu a entender nesta quinta-feira, 3, que é possível que a seleção brasileira não dispute a Copa América, marcada para começar no país a partir do dia 13. Em entrevista coletiva no Beira-Rio, em Porto Alegre, onde a equipe encara o Equador nesta sexta, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, o treinador disse que a posição da comissão técnica e dos atletas será exposta no “momento oportuno”.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

Tite disse que tanto ele e o diretor de seleções Juninho Paulista quanto os atletas tiveram conversas com o presidente Rogério Caboclo, mas preferiu não revelar o teor antes das partidas contra Equador e Paraguai. Mais cedo, treinadores de outras seleções se mostraram contrários à realização do torneio, que trocou de sede após desistências de Colômbia e Argentina.

“Temos uma opinião muito clara e fomos lealmente, numa sequência cronológica, eu e Juninho, externando ao presidente qual a nossa opinião. Depois, pedimos aos atletas para focarem apenas no jogo contra o Equador. Na sequência, solicitaram uma conversa direta ao presidente. Foi uma conversa muito clara, direta. A partir daí, a posição dos atletas também ficou clara. Temos uma posição, mas não vamos externar isso agora. Temos uma prioridade agora de jogar bem e ganhar o jogo contra o Equador. Entendemos que depois dessa Data Fifa, as situações vão ficar claras.”

  • A entrevista coletiva começou com duas horas de atraso e não contou com a presença do capitão Casemiro. Tite admitiu que a ausência do volante do Real Madrid tem a ver com o posicionamento dos atletas sobre a Copa América. “Eles têm uma opinião, externaram ao presidente, e vão externá-la ao público em um momento oportuno. Inclusive, isso tem a ver com a ausência do nosso capitão, Casemiro, aqui nessa entrevista”.

    Continua após a publicidade

    Em tom sereno, o treinador seguiu respondendo aos questionamentos sobre o torneio, mas manteve o foco nas partidas das Eliminatórias, da qual o Brasil lidera com quatro vitórias em quatro jogos. “Não estou abrindo mão das respostas e estou colocando os fatos, com discernimento e sensatez que tenho. A Copa América é muito importante. Mas mais importante, é o nosso jogo amanhã. É jogarmos bem, porque vamos ser cobrados, inclusive com o nosso torcedor. Temos posição clara. Mas deixa a nossa cabeça voltada para o jogo de amanhã. Entendo todos vocês e também entendo que é importante essa posição e não estou me eximindo.”

    O treinador disse que a polêmica atrapalha o grupo, mas que o objetivo segue sendo manter os 100% de aproveitamento nas Eliminatórias. “Tem efeito negativo, sim, em campo, traz prejuízo. Mas temos de superar e jogar bem. Compete a nós todos filtrarmos essa situação, fazer grande jogo e ter o resultado que a gente merecer”.

    O Brasil encara o Equador na sexta e o Paraguai na próxima terça-feira, 8. Em seguida, tem data marcada para a abertura da Copa América, dia 13, diante da Venezuela, às 18 horas, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade