Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Termo ‘vai dar zebra’ nascia há 52 anos no mundo do futebol

Gentil Cardoso foi o responsável por introduzir o termo no futebol

O termo “vai dar zebra” era muito comum no jogo do bicho. Por não fazer parte da lista de animais da jogatina, quando algo inesperado acontecia, dizia-se que “deu zebra”, por ser algo improvável, por ela não fazer parte da jogatina.

No dia 22 de novembro de 1964, durante a disputa do Campeonato Carioca daquele ano, em General Severiano, a Portuguesa enfrentou o líder e favorito Fluminense. Naquele dia, no entanto, o jogo terminou empatado por 1 x 1.

O resultado foi uma previsão do então técnico da Lusa Carioca, Gentil Cardoso, que sempre dizia frases de efeito e, naquela semana, repetiu diversas vezes que a Portuguesa não perderia o jogo. “Vai dar zebra”, dizia ele. 

Joaquinzinho marcou pelo Flu aos 44 do primeiro tempo, mas antes da virada do intervalo, aos 47 do primeiro, o time da Lusa empatou com Inaldo.

No fim, esse resultado fez com que Fluminense e Bangu terminassem os dois turnos com 35 pontos, sendo obrigados a jogar uma partida extra para definir o campeão. No jogo extra contra o Bangu, vitória do Flu por 1 x 0, gol de Amoroso aos 9 da segunda etapa.

O empate ainda salvou a Portuguesa do rebaixamento. Com 23 pontos, o time ficou um à frente do Campo Grande, primeiro rebaixado do estadual.

Outras fontes dizem que o termo foi primeiro usado em um jogo entre a Portuguesa e Vasco, em que o mesmo Gentil Cardoso teria dito que a Lusa venceria. E naquele 23 de julho de 1964, nas Laranjeiras, a Portuguesa fez 2 x 1 no Vasco, com gols de Tião e Inaldo para o time vencedor, enquanto o Cruz-Maltino marcou com Mário. Essa jogo foi válido pelo primeiro turno daquele carioca.

O certo é que o termo saiu da boca de Gentil, que foi perfil da Revista PLACAR em dezembro de 1972, na página 20 daquela publicação.