Clique e assine a partir de 9,90/mês

#TBT: o tempo só fez bem à idolatria da torcida do São Paulo por França

Perseguido no São Paulo em 2001, o artilheiro participou de uma live no Instagram de PLACAR e falou sobre o carinho da torcida

Por Alexandre Senechal - Atualizado em 26 mar 2020, 16h13 - Publicado em 26 mar 2020, 15h45

Françoaldo Sena de Souza sempre foi decisivo com a camisa do São Paulo. Com 182 gols em 327 partidas no tricolor (e uma impressionante média de 0,56 por jogo), França deixou o clube em 2002 como quinto maior artilheiro da história do clube. Mesmo colocando tantas bolas nas redes adversárias, o atacante teve sempre que lidar com a pressão abusiva da torcida. A história foi capa de PLACAR na edição 1176, de 24/4/2001, em que ele se perguntava: “Por que vocês não gostam de mim?” (clique aqui para ler a reportagem).

Divulgação/Placar

Na matéria, assinada por Arnaldo Ribeiro, o então camisa 9 dizia não entender o motivo de tantas críticas. Após a maior goleada da história do Morumbi, um 10 a 0 sobre o Botafogo da Paraíba na Copa do Brasil, em que o atacante fez três gols, ele ouviu do próprio segurança do clube que só marcava em jogos fáceis e que o presidente da Independente, a maior torcida organizada tricolor, estava “de olho” nele.

França relembrou o caso em um bate-papo com os leitores de PLACAR realizado nesta quarta-feira 25 através do Instagram, parte da iniciativa #PlacarEmCasa, uma forma segura e divertida de fazer esta quarentena provocada pelo coronavírus passar mais rápido. O ex-jogador nascido em Codó, no Maranhão, contou que só abriu sua conta na rede social para o público alguns meses atrás. Isso porque tinha receio sobre como seria recebido pelos torcedores, e se surpreendeu positivamente. “Se eu soubesse que era tão querido, teria feito antes”, analisou.

Não viu o bate-papo? Assista a conversa com França nos Stories de PLACAR

Continua após a publicidade

A incerteza sobre o sentimento que a torcida do São Paulo nutre por ele fez com que ele nunca mais voltasse a pisar no Morumbi profissionalmente, desde que saiu do clube rumo ao Bayer Leverkusen em 2002. Ele revelou que se pudesse voltar atrás, teria retornado para defender a equipe novamente, apesar de nunca ter recebido uma proposta para uma segunda passagem.

 

Muitos dos leitores disseram, ao longo da live, querer o ex-camisa 9 do Tricolor no atual time titular. França tem certeza de uma coisa. “Se tivesse ficado, teria chegado a uns 400, 500 gols e jogado até uns 38 anos”, contou. Dessa forma, teria batido o recorde de Serginho Chulapa, que lidera a lista de artilheiros com a camisa do São Paulo com 242 gols marcados. Sobre os atacantes de hoje, o maranhense diz que vê similaridade entre seu estilo e de Gabriel Barbosa, o Gabigol.

Sua breve passagem pela seleção brasileira não é motivo de chateação ou trauma. França não acha que foi desprezado pelos treinadores e disse que até teve chances, mas não soube aproveitá-las bem. “Entrei como titular em alguns jogos, mas chutei para fora, na trave. Infelizmente não deu certo, mas não me sinto injustiçado”, refletiu.

Continua após a publicidade

O atacante fez um único gol em oito jogos. E logo o último de um brasileiro no antigo estádio de Wembley, em empate contra a Inglaterra por 1 a 1 em um amistoso da seleção brasileira. Insuficiente para leva-lo à Copa de 2002 – Edilson e Luizão foram os escolhidos por Felipão para ficarem na reserva de Rivaldo e Ronaldo.

França saiu do Bayer Leverkusen em 2005 e escolheu o Japão como seu próximo destino – o brasileiro defendeu o Kashiwa Reysol por seis temporadas. Ainda vestiu a camisa do Yokohama FC antes de encerrar a carreira. Ele mora no Japão há 15 anos e não tem planos de voltar ao Brasil tão cedo. “A pior coisa que fiz foi vir para o Japão, porque me apaixonei pela cultura e decidi que nunca mais queria sair. É um país muito limpo, com muita educação e um respeito que você não vê em outros países”.

França comemora seu gol durante a partida amistosa contra a Inglaterra no estádio de Wembley, em Londres Dave Cannon /Allsport/Getty Images
Publicidade