Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Talento e carisma: Richarlison e Neres são apostas de Tite (e da torcida)

Atacantes de 22 anos conquistaram a confiança do treinador e, apoiados pelas arquibancadas, serão titulares neste domingo contra Honduras

PORTO ALEGRE – Em meio a um ambiente até então carregado pelos escândalos protagonizados por Neymar e à pressão de vencer a Copa América em casa, dois jovens atacantes se tornaram a esperança de dias melhores para Tite – e também para a torcida, carente de novas referências na seleção brasileira. Richarlison e David Neres, ambos de 22 anos, aproveitaram as chances que receberam do treinador e se candidataram ao posto vago de ídolo do time. Tanto que o técnico apostou nos garotos e os escalou como titulares para a partida deste domingo, 9, diante de Honduras, no Beira-Rio, a partir das 16h.

Algumas coincidências marcam a carreira da jovem dupla. Ambos ficaram pouco tempo no Brasil (o capixaba Richarlison passou por América Mineiro e depois o Fluminense, e David Neres pelo São Paulo, antes de destacarem na Europa) e receberam as primeiras oportunidades de Tite após cortes de outros jovens, Pedro e Vinícius Junior, respectivamente. Richarlison, que faz sucesso entre os fãs, especialmente os mais jovens, por seus gols e pela celebração da “Dança do Pombo”, foi chamado em todas as convocações pós-Copa e marcou quatro gols com a camisa amarela. Com boa técnica e finalização, pode jogar centralizado e também caindo pelos lados. Por isso, é quem tem mais chances de brilhar na Copa América até o momento.

Tabela completa da Copa América 2019

Camisa 21 marcou em Brasília (Buda Mendes/Getty Images)

“Pruu”, gritaram crianças em direção ao “pombo”, no hotel da equipe em Porto Alegre. O jogador do Everton recebeu carinho semelhante em Brasília, onde celebrou seu primeiro gol pela seleção em solo brasileiro, diante do Catar. “É um momento de alegria ter esse reconhecimento todo, apesar de ter ficado pouco tempo jogando no Brasil, as pessoas me acompanham lá fora e demonstram esse carinho todo. Fico feliz e espero continuar assim”, disse Richarlison, que passou uma temporada no Watford antes de se transferir para o Everton.

Neres, um dos destaques da incrível temporada do Ajax, semifinalista da Liga dos Campeões, tem uma personalidade menos expansiva, mas igualmente carismática. Fala baixo e pausadamente, de forma um pouco “aérea”, mas costuma surpreender com tiradas engraçadas, como quando cantou a música “Insegurança”, por se dizer inseguro, em seu “trgote” na seleção brasileira. Na capital gaúcha, foi o atleta mais solícito com os fãs antes do treino aberto no Beira-Rio.

O atacante canhoto revelado pelo São Paulo, que costuma jogar aberto pela direita – mas cairá pela esquerda contra Honduras –, tem o drible como maior trunfo e deve ter a concorrência de Willian e do próprio Richarlison por uma vaga no time. “Tem grandes jogadores aqui e vou lutar pelo meu espaço para contribuir, seja como titular ou entrando no segundo tempo”, afirmou Neres, em Brasília. E se entusiasmou quando contou ter reservado mais de 20 ingressos para a família para a estreia da Copa América, no Morumbi, diante da Bolívia, em 14 de junho.

Neste sábado 8, Tite confidenciou trechos do papo que teve com o jogador. “Disse a ele, sabe por que tu foi [sic] convocado? Ele respondeu: ‘porque eu joguei bem nos jogos finais?’ Sim e que mais? ‘Porque eu fiz uma boa temporada?’ E que mais? ‘Não sei, professor’. Porque tu joga [sic] muito!”, berrou Tite, visivelmente encantado com o jovem. O técnico, no entanto, evitou cravar quem serão os titulares na Copa América, torneio que o Brasil não conquista desde 2007.  “Sem definição, o campo fala. Deixa a competição leal lá ocorrer dentro do campo”.

Na frente, os dois terão a companhia do representante mais experiente da “geração de 1997”: Gabriel Jesus, o camisa 9 da Copa de 2018. Tite já avisou, porém, que Roberto Firmino deve retomar a titularidade quando estiver 100% fisicamente.

Gabriel Jesus e David Neres: mais dois integrantes da “geração 1997” (Pedro Martins/Mowa Press/Lucas Figueiredo/CBF)