Clique e assine com 88% de desconto

Sorteio da Copa terá Cafu, Maradona e outras estrelas em Moscou

Evento acontece em 1º de dezembro, no Kremlin. Seleção brasileira é cabeça de chave e não poderá enfrentar equipes da América do Sul na primeira fase

Por Da redação - Atualizado em 21 nov 2017, 20h01 - Publicado em 21 nov 2017, 10h09

A Fifa revelou nesta terça-feira novas informações sobre o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018, que será realizado em 1º de dezembro, no Kremlin, em Moscou. Oito ex-jogadores serão assistentes do evento, incluindo o brasileiro Cafu, campeão em 1994 e 2002, e Diego Maradona, herói do título argentino de 1986.

Dentre os outros assistentes destacam-se outros campeões mundiais, como o espanhol Carles Puyol (2010), o italiano Fabio Cannavaro (2006), o francês Laurent Blanc (1998) e o inglês Gordon Banks (1966), além do uruguaio Diego Forlán e do russo Nikita Simonyan, que não levantaram o troféu, mas brilharam no torneio.

“O sorteio é um momento em que todo o planeta participa com entusiasmo e expectativa, estou feliz de participar novamente. Tive a sorte de vir à Rússia várias vezes ao longo do ciclo desta Copa, e tenho certeza de que o país vai entregar outro evento fantástico em Moscou”, afirmou Cafu em comunicado da Fifa.

O ex-jogador alemão Miroslav Klose, maior artilheiro da história das Copas com dezesseis gols em quatro edições, será o encarregado de levar o troféu ao palco da cerimônia, que começará às 13 horas(de Brasília) e será apresentado pelo ex-jogador inglês Gary Lineker e pela jornalista russa Maria Komandnaya.

Publicidade

Os potes do sorteio

As 32 seleções que disputarão o Mundial na Rússia serão divididas em oito grupos de quatro participantes. Para o sorteio, os times estão separados em quatro potes, com base no ranking da Fifa divulgado em outubro. As cabeças de chave serão a anfitriã Rússia, Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia e França. Os times serão divididos em oito grupos de quatro participantes.

Pelas normas da Fifa, países da mesma confederação não poderão ficar no mesmo grupo, exceção feita às equipes europeias, que são maioria – duas delas podem ficar em uma mesma chave. Portanto, já se sabe que o Brasil não poderá cair no grupo de nenhuma seleção da Conmebol (Uruguai, Colômbia e Peru), além, claro, dos outros cabeças de chave. Espanha, Inglaterra e Croácia, no pote 2, são os adversários mais temidos, na teoria.


Arte/VEJA

 

Publicidade