Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Sobrevivente de Hillsborough morre e é reconhecido como 97ª vítima

Torcedor do Liverpool, Andrew Devine, permaneceu por 32 anos em estado vegetativo após ser pisoteado em tragédia no auge do hooliganismo, em abril de 1989

Por Da Redação Atualizado em 29 jul 2021, 11h10 - Publicado em 29 jul 2021, 11h08

O torcedor do Liverpool Andrew Devine morreu na última terça-feira, 27, e foi legalmente reconhecido como a 97ª vítima da tragédia de Hillsborough, ocorrida em 15 de abril de 1989, quando 96 torcedores foram esmagados até a morte durante o jogo entre Liverpool e Nottingham Forrest, pela semifinal da Copa da Inglaterra daquele ano. Devine sofreu danos cerebrais irreversíveis e há 32 anos vivia em estado vegetativo.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

“Saudamos a conclusão feita no Tribunal de Justiça de Liverpool, de que Andrew foi morto ilegalmente, tornando-o a 97ª fatalidade dos trágicos eventos ocorridos em 15 de abril de 1989. Nos anos que se passaram, Andrew foi um filho, irmão e tio muito amado. Ele tem o apoio de sua família e de uma equipe de cuidadores dedicados. Como sempre, nossos pensamentos estão com todos os afetados por Hillsborough”, afirmou o clube em comunicado.

A maior tragédia do futebol do país foi provocada por uma série de erros de gestão e de segurança no auge do hooliganismo. Na ocasião, uma superlotação de todos os setores do estádio levaram centenas de torcedores a serem esmagados.

  • Devine foi uma das vítimas e tinha expectativa de vida de apenas seis meses, segundo médicos. Ele passou a viver sob cuidado integral dos pais e de uma equipe especializada sem conseguir se mover, ou se comunicar. Ainda assim, acompanhava a diversas partidas do Liverpool pela televisão e no estádio de Anfield.

    Em 5 de junho de 2019, após a conquista do título da Liga dos Campeões, o capitão da equipe, o meio-campista inglês James Milner, fez questão de pedir ao motorista do ônibus em que o time desfilava para passar em frente a casa de Devine. O gesto foi considerado um ato marcante do jogador em respeito ao torcedor.

    Continua após a publicidade
    Publicidade