Clique e assine a partir de 9,90/mês

Sem tempo para descanso, Corinthians espera por paraguaios e Jadson

Balbuena e Romero viajaram para defender seleção do país contra o Estados Unidos e retornaram ao Brasil horas antes da semifinal contra o São Paulo

Por Gazeta Press - Atualizado em 29 mar 2018, 14h41 - Publicado em 29 mar 2018, 14h39

Sem tempo para descanso, o Corinthians volta a treinar na tarde desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava, e deve ter os seus titulares em campo em apenas uma atividade antes do jogo contra o Palmeiras, marcado para as 16h30 (de Brasília), na Arena Corinthians, na partida de ida da final do Campeonato Paulista. Preocupado com isso, a equipe espera pelo reforço dos paraguaios Balbuena e Romero, além do meia Jadson.

A dupla de estrangeiros viajou para defender sua seleção contra o Estados Unidos, na terça-feira, em território norte-americano, retornando ao Brasil horas antes da semifinal contra o São Paulo, decidida nos pênaltis. Por ter jogado o amistoso, o defensor nem sequer foi relacionado, enquanto Romero, que não atuou pelo seu país, acabou cortado de última hora do decisivo embate.

A princípio, ambos ficam à disposição, já que não apresentaram nenhuma lesão ao departamento médico. Os reforços são vistos como importantes por Carille principalmente por darem mais experiência à linha defensiva corintiana, comandada por Balbuena e muito ajuda por Romero quando estes estão em campo. No ataque, por outro lado, a expectativa é pelo retorno do meia Jadson, em fase final de recuperação após uma lesão na coxa direita.

O jogador tem treinado em dois períodos por causa de uma contratura no músculo reto-femoral, segundo problema no local consecutivo, deixando-o longe dos gramados desde a penúltima rodada da fase de classificação do torneio. Agora, no entanto, ele apresenta evolução nos movimentos e, caso não sinta dores nos próximos dias, poderá ser utilizado por Carille.

Continua após a publicidade

A presença do camisa 10 ganha importância pela dificuldade encontrada no setor, com Rodriguinho atuando após sofrer problema na coxa esquerda e Clayson terminando a semifinal totalmente estafado, precisando ser carregado de maca para o vestiário, onde o elenco comemorava a festa. Fagner, que chegou pouco antes de Romero e Balbuena e jogou por 75 minutos, exaltou esse esforço.

“Amo o que faço, feliz demais por ter ajudado de alguma forma. A gente sabia da dificuldade, então a felicidade é imensa de poder ajudar”, avaliou o defensor, que não deve ser problema para enfrentar o Palmeiras. A definição, porém, só deve sair no trabalho da manhã de sexta-feira, o último antes da primeira decisão do Estadual.

Publicidade