Clique e assine a partir de 8,90/mês

Rússia 5 x 0 Arábia Saudita: um bom e inesperado começo para a Copa

Anfitriões, que ocupam o 70º lugar no ranking da Fifa, estavam há sete jogos sem vencer

Por Fernando Beagá - Atualizado em 14 jun 2018, 15h26 - Publicado em 14 jun 2018, 14h34

O encontro das duas piores seleções no ranking da Fifa (entre as que disputam a Copa do Mundo da Rússia) não prometia um deleite. Mas os anfitriões (no 70º lugar) souberam captar a empolgação de seu público e a fragilidade da Arábia Saudita (67º) numa convincente vitória por 5 a 0. Com boas trocas de passes e golaços, acredite. Tudo isso de uma equipe que não vencia há sete partidas (a última vitória em outubro de 2017, em amistoso contra a Coreia do Sul), que fizera uma participação catastrófica na Copa das Confederações. Não superar o adversário teoricamente mais fraco do grupo A seria a confirmação do pior (e até então realista) prognóstico.

Com sua torcida vibrando mesmo na mais despretensiosa investida, a seleção russa perseguiu rapidamente o primeiro gol para garantir a vitória, ciente de que os sauditas não incomodariam o goleiro Akinfeev — de fato, não teve trabalho. Deu certo: logo aos 12 minutos, o volante Iury Gazinskiy completou de cabeça cruzamento de Golovin. A saída do meia Dzagoev, principal articulador russo, deixou todos apreensivos no estádio de Luzhniki (ocupado por 78.011 espectadores). Mal sabiam que seu substituto se tornaria o craque da partida, eleito pela Fifa.

Cheryshev assumiu o lado esquerdo do ataque, deixando a função de Dzagoev para Golovin. E de lá recebeu o passe para anotar o primeiro gol bonito da Copa. Com um drible sutil, deixou dois defensores no chão antes do inclemente chute no ângulo de Al-Muaiouf. O cronômetro já contava 43 minutos e o técnico Stanislav Cherchesov pôde ir tranquilo para intervalo e, certamente, orientar seu time pela manutenção da estratégica de deixar a Arábia Saudita com mais posse de bola (59%) e explorar seus erros.

Do banco de reservas também veio o terceiro gol da Sbornaya. Em troca simples no comando de ataque, o grandalhão Dzyuba entrou no lugar de Smolov e marcou em seu primeiro toque na bola. De cabeça, completando outro cruzamento de Golovin, o garçom da primeira rodada, que ainda fez o corta-luz para a ultrapassagem de Cheryshev fazer outro golaço, novamente usando o lado externo de seu pé esquerdo. E coube a Golovin — que mereceria, também, a honraria de melhor em campo — fazer o quinto, em cobrança de falta com beleza equivalente à incredulidade de todo o mundo diante do inesperado placar.

A Rússia tem todo o direito de se empolgar, pelo menos por hoje. Mas a Arábia Saudita se mostrou tão frágil que somente a próxima partida, contra o Egito (na próxima terça, 19 de junho, às 15h), poderá delimitar até onde os donos da casa podem sonhar chegar. Aos sauditas, resta contabilizar um saldo negativo. Dia 20, às 9h, estarão expostos ao apetite do forte ataque do Uruguai, com Cavani e Suárez.

Ponto alto

Em Copa do Mundo, é comum depender da inspiração de um protagonista. O meia Aleksandr Golovin assumiu esse papel, com dois passes decisivos e um gol.

Ponto baixo

Se a Rússia, ainda bem, surpreendeu, a Arábia Saudita castigou a bola, como esperado. As três substituições promovidas pelo Juan Antonio Pizzi apenas mantiveram esse deserto criativo.


Ficha do jogo

Rússia 5 x 0 Arábia Saudita
Local: estádio Lujniki, em Moscou. Árbitro: Nestor Pintana (ARG). Público: 78.011. Gols: Gazinsky, aos 12, Cheryshev, aos 43 do primeiro tempo; Dzyuba, aos 25, Cheryshev, aos 46, Golovin, aos 49 do segundo tempo.
Rússia: Akinfeev; Mário Fernandes, Kutepov, Ignashevich e Zhirkov; Gazinsky e Zobnin; Samedov (Kuziaev), Dzagoev (Cheryshev) e Golovin; Smolov (Dzyuba). Técnico: Stanislav Cherchesov.
Arábia Saudita: Al-Muaiouf; Al-Burayk, Osama Hawsawi, Omar Hawsawi e Al-Shahrani; Al-Faraj, Ateef (Al-Muwallad), Al-Dawsari, Al-Jassim, e Al-Shehri (Bahbir); Al-Sahlawi (Asiri). Técnico: Juan Antonio Pizzi.

Continua após a publicidade
Publicidade