Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Renegado no PSG, Lucas marca nome na história do Tottenham

Os três gols do brasileiro diante do Ajax levaram o clube inglês à decisão – algo que o milionário clube parisiense jamais conseguiu

Por Da Redação - Atualizado em 9 maio 2019, 10h11 - Publicado em 9 maio 2019, 08h33

Lucas Moura foi o herói improvável do Tottenham nesta quarta-feira, 8, ao marcar três gols da virada sobre o Ajax, por 3 a 2, que classificou o time inglês à primeira final de Liga dos Campeões em seus 137 anos de história. Renegado no Paris Saint Germain, o brasileiro marcou seu nome no clube inglês com a incrível atuação na Holanda.

Tabela completa de jogos da Liga dos Campeões 2019

O Tottenham perdeu o primeiro jogo, em casa, por 1 a 0 e começou o jogo de volta, na arena Johan Cruyff, perdendo por 2 a 0. Na segunda etapa, o clube inglês contou com três gols do atacante brasileiro – o último deles nos 50 minutos, praticamente no último lance – para garantir a classificação inédita, que nem o milionário PSG conquistou.

“O futebol é fantástico e nos dá momentos como este. É o melhor momento da minha vida, da minha carreira. Só quero agradecer a todos, porque o que vivo no Tottenham é inacreditável. Estou muito feliz”, declarou Lucas após a partida. Sua atuação recebeu nota 10 de diversos jornais da Europa, como o s ingleses Daily Mirror e o Daily Telegraph e o francês L’Équipe.

Depois de ascensão meteórica no São Paulo, Lucas foi negociado pelo Paris Saint Germain por 43 milhões de euros (cerca de 189 milhões de reais, na cotação atual), mas foi renegado pelo clube depois de temporadas irregulares e contratações de astros do futebol mundial, como Neymar e Kylian Mbappé. Infeliz, o brasileiro foi ao Tottenham para recuperar os bons momentos e voltar a frequentar a seleção brasileira.

Publicidade

Ascensão no São Paulo

Depois de defender Juventus-SP e Corinthians nas categorias de base, Lucas, ainda como Marcelinho – por sua semelhança com o eterno ídolo corintiano –, foi contratado aos 13 anos para defender o São Paulo. Lucas brilhou na conquista da Copinha de 2010 e foi chamado para o profissional no mesmo ano.

Foram dois anos defendendo o São Paulo. O ponta acumulou 128 jogos, com 33 gols marcados, 25 assistências e o título da Copa Sul-Americana – o último do São Paulo até hoje. No dia 12 de dezembro de 2012, Lucas fez sua última partida pelo São Paulo. O jogador balançou as redes e deu uma assistência na vitória dos paulistas por 2 a 0 para cima do Tigre-ARG, garantindo o troféu da Copa Sul-Americana. Lucas foi vendido ao Paris Saint-Germain ainda em 2012, mas se apresentou ao Paris no início de 2013.

Irregularidade no Paris Saint Germain

Lucas fez sua estreia pelo PSG já no dia 2 de janeiro de 2013. O que prometia ser a consolidação de um jovem talento brasileiro no exterior acabou por ser uma época marcada pela irregularidade. Em cinco anos no clube, Lucas nunca alcançou o potencial esperado pelo clube. Fez 229 jogos pelo time francês, com 46 gols e 49 assistências.

Lucas Moura Lucas Moura em ação pelo PSG

Lucas Moura em ação pelo PSG Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

Lucas foi vendido ao Tottenham em janeiro de 2018, depois de período de baixa no PSG, sem espaço na equipe titular e saindo do banco somente seis vezes na temporada 2017/18. Ofuscado pelas contratações de astros do futebol, como Neymar e Mbappé, o brasileiro, na época, declarou que estava infeliz no clube e queria sair. O contrato firmado com os ingleses é válido até 2023 e a negociação custou cerca de 25 milhões de libras (por volta de 127 milhões de reais) aos cofres dos Spurs.

Publicidade

Recuperação e heroísmo no Tottenham

Lucas recuperou o bom futebol no clube inglês, conseguindo atuar mais em relação aos últimos anos de PSG. Depois de um período de adaptação natural, o brasileiro participou de praticamente todas as partidas dos Spurs na temporada. Foram 46 jogos, com 12 gols e duas assistências. O atacante, inclusive, começou a temporada como titular de Mauricio Pochettino, na ausência do sul-coreano Son Heung-min, que servia sua seleção nacional. Com a volta do camisa 7, Lucas voltou para a reserva, sem perder o status de peça importante do elenco inglês.

Na noite desta quarta-feira, o brasileiro provou seu valor. O Tottenham havia perdido a primeira partida para o Ajax, em casa, por 1 a 0, e precisava da virada para alcançar a inédita final da Liga dos Campeões. No jogo de volta, na Holanda, depois de um 2 a 0 de vantagem para o Ajax na ida para o intervalo, Lucas Moura marcou três gols – o da classificação só saiu aos 50 minutos da etapa final –, sacramentando a virada heroica do Tottenham e marcando seu nome na história do clube.

Carreira na seleção

Lucas começou sua trajetória na seleção em 2010, quando foi convocado pelo técnico Ney Franco para o sub-20. No ano seguinte, apesar da presença de Neymar no elenco, foi Lucas o grande nome da conquista do Sul-Americano sub-20 ao marcar três gols na grande decisão contra o Uruguai. Ainda em 2011, o atacante foi chamado pela primeira vez para a seleção brasileira principal, na época comandada por Mano Menezes, e conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Sob o comando de Felipão, Lucas não teve muitas chances e ficou de fora da Copa do Mundo de 2014. Dois anos depois, em 2016, foi chamado para a disputa da Copa América depois de Rafinha sofrer uma lesão. No ano passado, Lucas foi lembrado por Tite após Éverton, do Grêmio, se contundir. O atleta do Tottenham esteve no grupo que disputou amistosos contra a Argentina e a Arábia Saudita, mas não teve outras oportunidades. Agora, depois do show na Champions League, vive a expectativa de estar na lista de convocados da Copa América, que será revelada no dia 17.

Publicidade

(Com Gazeta Press)

Publicidade