Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Red Bull Bragantino: como funcionará a fusão dos clubes na Série B

Time mantido pela multinacional de bebidas energéticas se muda de Campinas para Bragança Paulista com o objetivo de chegar à elite

A Série B do Campeonato Brasileiro deste ano começa na próxima semana com a estreia de uma nova equipe: o Red Bull Bragantino. A fusão com o popular time de Bragança Paulista (SP) é a mais nova aposta do clube-empresa mantido pela marca austríaca de bebidas energéticas, que nesta semana faturou o título do Torneio do Interior do Campeonato Paulista ainda com base em Campinas. A primeira partida oficial da nova equipe será no dia 26 de abril, contra o Brasil de Pelotas, no Rio Grande do Sul, pela primeira rodada da Série B.

A fusão traz benefícios claros a ambos os lados: dá ao Red Bull Brasil a possibilidade de disputar a segunda divisão nacional (sozinho, ele não jogaria nem a Série D) e assim acelerar sua sonhada chegada à primeira prateleira do futebol brasileiro; e representa um considerável aporte financeiro ao Bragantino, que não disputa a Série A do Brasileirão desde 1998, quando foi rebaixado depois de nove anos na elite.

De acordo com o site Máquina do Esporte, o investimento da Red Bull no novo time será de cerca de 40 milhões de reais em 2019 – valor não confirmado pela empresa. O clube terá novos uniformes, que foram divulgados nesta terça-feira 16. O escudo do Bragantino foi mantido, com um grande logo da Red Bull no peito. O presidente da equipe será Marquinho Chedid, do Bragantino, mas a gestão do futebol passará a ser da Red Bull.

O goleiro Júlio César, ex-Corinthians, é o capitão do time (Rodrigo Corsi/FPF/Divulgação)

O treinador do time será Antônio Carlos Zago, que conquistou o Troféu do Interior com excelente campanha sob o comando do Red Bull Brasil. A comissão técnica do Bragantino foi demitida logo depois da eliminação na primeira fase do Paulistão.

Já o elenco será formado pelos destaques das duas equipes, mas na maioria com jogadores do Red Bull Brasil, e por reforços que serão contratados pelo novo time para a disputa da segunda divisão. O capitão do Red Bull é Júlio César, goleiro com passagem marcante pelo Corinthians.

O novo time treinará no CT da Red Bull, na cidade de Jarinú, próximo a Campinas, mas mandará todas suas partidas no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.

História – O Red Bull Brasil foi fundado em 2007 na cidade de Campinas e, em sete anos, chegou à primeira divisão paulista, mas não conseguiu acessos no Campeonato Brasileiro. Já o Bragantino, fundado em 1928, tem uma história de sucessos, como o título paulista de 1990, da Série B do Campeonato Brasileiro de 1989 e da Série C em 2007. A equipe ainda tem, como destaque, o vice-campeonato brasileiro de 1991.

Em 2017, torcedores da Portuguesa criticaram a gestão do clube e fizeram uma campanha na internet pedindo a fusão do clube com o Red Bull Brasil, que na ocasião respondeu à proposta com brincadeiras, com fotos do mascote comendo Pastéis de Belém e Bolinhos de Bacalhau.

Sucesso em outros países

O atacante francês Thierry Henry, do New York Red Bulls

O atacante francês Thierry Henry, pelo New York Red Bulls (Mike Stobe/Getty Images/VEJA)

Seja no futebol ou em outros esportes, como a Fórmula 1, a Red Bull fez parcerias de sucesso em outros países. No futebol, o Red Bull Salzburg, na Áustria, foi o primeiro, em 2005. A multinacional de bebidas comprou a equipe que se tornou uma potência no país.

Nos Estados Unidos, em 2006, a empresa comprou o New York Metrostars e o transformou em New York Red Bulls, que disputa a Major League Soccer. O time nunca foi campeão nacional, mas já teve estrelas no elenco como o francês Thierry Henry e o brasileiro Juninho Pernambucano.

Em 2009, a empresa criou, na Alemanha, o RB Leipzig, após comprar o SSV Markranstädt, da quarta divisão. Pelas regras da liga alemã, o clube não pode ser chamado de Red Bull antes de completar 20 anos da aquisição da empresa. Por isso, enquanto isso, o clube é conhecido apenas como RB. Chegou à primeira divisão alemã em 2016/2017 e disputou a Liga dos Campeões

Além do futebol, a empresa investe em diversos esportes radicais e na escuderia RBR (Red Bull Racing), quatro vezes campeã na Fórmula 1 com o piloto alemão Sebastian Vettel.