Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Raí convenceu jogadores do São Paulo a receber medalhas de vice

Decepcionados com a derrota para o Corinthians nos minutos finais, jogadores haviam voltado ao vestiário antes da cerimônia de premiação

O gol de Vagner Love nos minutos finais, que deu o tricampeonato paulista ao Corinthians neste domingo, 21, em Itaquera, deixou os jogadores do São Paulo bastante abalados. Muitos deles deixaram o gramado chorando e foram para o vestiário logo depois da derrota por 2 a 1. Coube a Raí, executivo de futebol e ex-jogador do clube, convencer os jogadores a retornar ao campo para buscar suas medalhas de vice-campeão.

“Alguns já tinham entrado, estavam chateados, não sabiam bem a informação. Eu vim, conversei com eles e eles prontamente se levantaram e voltaram”, confirmou o ídolo tricolor depois da partida. O São Paulo, que não chegava à decisão estadual desde 2003 (quando também foi derrotado pelo Corinthians), não conquista o título desde 2005 – o torneio era em formato de pontos corridos.

Logo após receber as medalhas, alguns jogadores a tiraram do peito, como o lateral Reinaldo, bastante exaltado. O capitão Hudson rapidamente entregou a taça de vice-campeão a um funcionário do clube. O jovem Luan caiu no gramado e recebeu apoio do técnico Cuca, que exaltou o comprometimento dos garotos em entrevista coletiva.

“São meninos de 18, 19 anos, entrando numa batalha diferente de campeonatos de juniores. Estão medindo forças com jogadores importantes e tendem a evoluir, assim como nosso grupo com mais opções (…) Dói muito, a gente queria muito dar o título para o torcedor, pedimos desculpas, mas precisamos do torcedor para começar o campeonato sábado forte”, afirmou o técnico. 

O técnico negou desrespeito no momento da premiação. “Não sabíamos o protocolo. Os jogadores ficaram todos esperando, entraram cinco (para o vestiário). Mandamos ir buscar. Jogador está muito sensível, tomou gol em cima da hora. Tinha jogador chorando, não tem como segurar. Demorou e o pessoal resolveu entrar, mas não houve desrespeito a ninguém, muito pelo contrário.”