Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Queda do Palmeiras na Libertadores causa ‘vergonha’ em Guerra

Em entrevista coletiva, venezuelano isenta diretoria do Palmeiras de culpa na eliminação e diz que responsabilidade é dos jogadores

Por Da Redação - 16 ago 2017, 22h32

O meia venezuelano Alejandro Guerra classificou como vergonha a eliminação do Palmeiras nas oitavas de final da Copa Libertadores da América para o Barcelona, do Equador.

Em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, uma semana após a queda no torneio sul-americano, o jogador de 32 anos disse que a culpa é dos jogadores, e isentou a diretoria de responsabilidade no resultado negativo.

Eles (diretores) sempre estão falando e mostrando que estão conosco. A culpa é nossa (jogadores). Nós jogamos, eles não podem fazer nada. Eu peço desculpas pela vergonha (eliminação na Libertadores). Os diretores querem fazer o melhor e motivar com diferentes coisas, mas nós não aproveitamos. Eles são pessoas muito boas, sempre estão com a gente. Dá vergonha ser eliminado da competição, mas eles não têm culpa de nada, fomos nós que jogamos”, disse Guerra. 

O jogador também falou sobre a insatisfação da torcida com o time, após três eliminações na temporada – além da Libertadores, a equipe também caiu no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil -, e tentou justificar o momento.

Publicidade

É normal que a torcida esteja assim, a equipe foi montada para ganhar campeonatos. Fomos eliminados de três campeonatos, sempre haverá comentários ruins. Temos de estar preparados para isso. Temos de entendê-los, mas peço que eles nos entendam também. Primeiramente, nós somos seres humanos e depois jogadores. Não queremos errar”, falou o venezuelano, eleito o melhor jogador da Libertadores em 2016, quando foi campeão do torneio com o Atlético Nacional, da Colômbia.

Publicidade