Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Que motivos teria o técnico Jorge Jesus para deixar o Flamengo

Imprensa local informa que o retorno do português ao Benfica está próximo; despedida poderia ser nesta quarta, contra o Fluminense

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 7 jul 2020, 15h28 - Publicado em 7 jul 2020, 11h03

Notícias vindas de Lisboa vêm tirando o sono de torcedores e dirigentes do Flamengo. Pouco mais de um mês depois depois de anunciar sua renovação de contrato, até junho de 2021, e dizer que seu objetivo era conquistar o Mundial de Clubes pelo time carioca, o técnico português Jorge Jesus está balançado com insistentes ofertas da diretoria do Benfica, clube pelo qual se consagrou em seu país natal. Mas o que levaria o “Mister”, ídolo da massa rubro-negra, a deixar o melhor clube da América na atualidade para assumir um Benfica em baixa?

  • Bruno Andrade, jornalista brasileiro radicado em Portugal, revelou na última segunda-feira 6, no portal Goal.com, que Jesus foi convencido nas últimas horas pelo amigo e presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, a assumir o cargo deixado na semana passada por Bruno Lage, após sequência de tropeços. Ainda segundo a reportagem, o treinador de 65 anos pretende buscar uma rescisão amigável e apenas depois que o Campeonato Carioca terminar – o que pode ocorrer já nesta quarta-feira, 8, caso o time vença o Fluminense na decisão da Taça Rio, o segundo turno do Estadual, no Maracanã.

    Segundo Andrade, uma cláusula no contrato de Jesus facilitaria todo o processo. O treinador impôs como condição que poderia deixar o Flamengo se recebesse propostas de grandes clubes de Portugal, Espanha ou Inglaterra, incluindo o Benfica, clube que treinou entre 2009 e 2015 e pelo qual conquistou três ligas portuguesas, entre outras taças.

    Apesar de o clube lisboeta não viver boa situação financeira, o retorno de Jesus, um popstar no país – a ponto de o Flamengo receber tanto espaço na imprensa esportiva local quanto Porto, Benfica ou Sporting – é visto como a melhor cartada do presidente Luís Filipe Vieira, que tem sua reeleição no pleito de outubro ameaçada.

    “Desde que Vieira foi eleito, em 2003, esta é a primeira vez que ele tem o cargo em xeque. E a única maneira de ele conseguir acalmar os sócios é trazendo um grande ídolo como Jesus. O Benfica não está bem financeiramente, mas ele fará de tudo para arrumar o dinheiro”, explica o jornalista Bruno Andrade, a PLACAR. A quatro rodadas do fim do Campeonato Português, o Benfica está a seis pontos do líder Porto.

    Nesta terça-feira, 7, o jornal Correio da Manhã foi além e cravou: “Jorge Jesus no Benfica por 7 milhões de euros (cerca de 42 milhões de reais) ao ano”, praticamente o dobro do que recebe no Flamengo. A publicação informa ainda que o treinador irá a Lisboa assim que o Campeonato Carioca acabar para sacramentar o acordo.

    Os motivos para um eventual retorno

    Além da saudade dos familiares e o desejo de retornar ao futebol europeu, o que mais pesa contra o Flamengo é a indefinição do calendário sul-americano em meio à pandemia de coronavírus. A CBF cravou o retorno do Brasileirão em 9 de agosto, mas há enorme indefinição em relação à Libertadores, devido ao fechamento de fronteiras, e ao Mundial de Clubes, os maiores objetivos do treinador na temporada.

    No Flamengo, publicamente os dirigentes demonstram confiança de que Jesus cumprirá seu contrato, mas o clima de incerteza começa a tomar conta do Ninho do Urubu. Até o momento, Jorge Jesus não deu nenhuma declaração sobre o interesse do Benfica. Em um ano de clube, ele conquistou cinco títulos (Brasileirão, Libertadores, Recopa Sul-Americana, Supercopa do Brasil e Taça Guanabara).

    Continua após a publicidade
    Publicidade