Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Presidente Vargas, a mais tradicional casa do futebol alencariano

Há 75 anos, estádio é uma das casas do futebol de Fortaleza

Por José Renato Santiago Atualizado em 8 mar 2017, 14h54 - Publicado em 11 out 2016, 12h31

Construído para substituir o Campo do Prado, espaço que abrigou, juntamente com o Campo do Alagadiço, as partidas do Campeonato Cearense entre 1915 e 1941, ainda que nem arquibancada possuísse, o estádio Presidente Vargas teve sua pedra fundamental lançada em 15 de agosto de 1939. 

A inauguração do estádio aconteceria cerca de dois anos depois, em 14 de setembro de 1941, com ‘um vasto programa musicalesportivo’, segundo jornais locais da época, que contou com a participação de um grupo de corais formados por estudantes e homens do Corpo de Bombeiros que € zeram exibições físicas.

Uma vez que o evento tinha se iniciado às 16 horas e a iluminação ainda não estava em pleno funcionamento, a primeira partida ocorreu ‘uma semana depois’, no dia 21, quando o Ferroviário venceu por 1 a 0 a equipe pernambucana do Tramways, com um gol do meio-campista Chinês. Desde então, não apenas o estádio mas até mesmo o até então distante bairro do Ben€fica passou a ser um dos locais mais frequentados da cidade. Ao longo dos anos, mais precisamente até 1973, quando foi inaugurado o estádio Plácido Castelo, o Castelão, abrigou as principais partidas realizadas na capital cearense. 

Foi lá que Pelé atuou pela milésima vez com a camisa do Santos, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, disputada em 3 de dezembro de 1972 e vencida pelo Ceará por 2 a 1. Seu maior público foi registrado em 5 de agosto de 1973, em um Clássico Rei, entre Fortaleza e Ceará, que acabou empatado por 1 a 1 e atraiu 37.601 pagantes, muito mais que sua capacidade atual oficial, próxima de 20.000 pessoas. Além de partidas de futebol, o ‘PV’, como é popularmente chamado, é a casa de uma das mais famosas iguarias feitas em um estádio de futebol, o Cai Duro, sanduíche recheado com carne moída, segundo muitos, de origem duvidosa, e que sacia a fome dos torcedores enquanto assistem os jogos. O ‘PV’ é uma festa.

‘A caixa d’água do PV’, localizada ao lado do estádio – José Leomar

Continua após a publicidade
Publicidade