Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente da CBF descarta corte e diz ter ‘total confiança’ em Neymar

Rogério Caboclo disse que conversou com advogados e com o pai do atacante acusado de estupro e vê atleta e seleção "blindados"

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, descartou nesta terça-feira, 4, a possibilidade de Neymar, alvo de acusação de estupro, ser cortado do grupo da seleção brasileira que vai disputar a Copa América no país a partir de 14 de junho. O dirigente ainda declarou que tem total confiança no jogador do Paris Saint-Germain e na sua defesa neste caso.

“Não há expectativa alguma de que o Neymar não esteja na seleção. Estamos acompanhando atentamente com total confiança no Neymar”, afirmou o dirigente, em entrevista ao SporTV em Paris, onde participa de Congresso da Fifa que reelegerá Gianni Infantino, candidato único, como presidente da entidade.

Assim, o presidente da CBF adotou um discurso parecido ao de Tite, o técnico da seleção brasileira, que na segunda-feira declarara que não poderia “julgar” Neymar, mas que o atacante sempre foi “leal” em todos os assuntos pessoais tratados na seleção.

Tabela completa da Copa América 2019

Caboclo também explicou que após a revelação da denúncia contra Neymar, no último fim de semana, conversou com Neymar da Silva Santos, o pai do jogador, mas não diretamente com o atleta do PSG. “Eu tenho conversado com os advogados, com o pai e dado o apoio que a CBF tem de dar. Ele está muito bem amparado.”

O presidente da CBF também assegurou que a seleção está “blindada” contra o clima externo envolvendo a acusação contra o Neymar e garantiu que a sua gestão lida com a situação com tranquilidade. “Tratando com naturalidade. O mais importante é manter o ambiente da seleção, dos jogadores, com o clima de competição em alta para que isso não afete o desempenho e o dia a dia”, concluiu o dirigente.

No último sábado, veio a público um boletim de ocorrência registrado por uma mulher de 26 anos em São Paulo. Ela acusa Neymar de tê-la estuprado em um hotel de Paris, para onde viajou a convite do próprio jogador, no mês passado. No B.O., ela afirmou que o jogador estava aparentemente embriagado, e após conversarem e trocarem carícias no hotel onde ela estava hospedada, o jogador se tornou agressivo e “mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade da vítima”.

Desde que a acusação de estupro contra Neymar veio à tona, no sábado, o tema é tratado com discrição na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). O atacante segue sua rotina de treinos na preparação para a Copa América, sendo que na quarta-feira a seleção vai enfrentar o Catar em amistoso no Mané Garrincha, em Brasília.

Neymar também foi intimado a depor na próxima sexta-feira, 7, na investigação por supostos crimes virtuais cometidos com o vídeo divulgado no último domingo com fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro.

A assessoria jurídica da CBF, que ajuda na defesa do jogador, está tentando adiar a oitiva para a próxima semana. O motivo é que Neymar estará em Porto Alegre na sexta, concentrado para o amistoso da seleção brasileira contra Honduras, marcado para domingo, 9.