Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Preço abusivo’ de ingressos gera conflito entre United e Barcelona

Clube inglês protestou contra o valor de 120 euros cobrado pelo clube espanhol e encontrou forma de ‘reembolsar’ seus fãs

Por Da redação - 21 mar 2019, 12h08

Manchester United e Barcelona se enfrentam apenas nos dias 10 e 16 de abril por uma vaga nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa, mas o clima de tensão entre os gigantes do continente já começou devido a uma questão econômica: o clube espanhol subiu o preço das entradas para visitantes para 120 euros (516 reais pela cotação atual), valor considerado abusivo pelo United, que encontrou uma forma de reembolsar seus fãs que forem ao Camp Nou.

O clube inglês havia estabelecido o preço de 75 libras (equivalente a 85 euros ou 365 reais) para os visitantes do Barcelona na partida em Old Trafford, mas ao saber da estratégia do adversário, praticamente igualou o valor (subiu para 102 libras, cerca de 120 euros). Com isso, o United usará o valor extra para subsidiar a diferença a seus torcedores, conforme explicou em carta vazada por alguns fãs, na qual o clube reclama de outros “excessos” cometidos por clubes espanhóis.

“O FC Barcelona confirmou que nossas entradas deveriam custar 102 libras. Neste caso, acreditamos que nossos torcedores que viajarão novamente sujeitos a preços aumentados ou excessivos. Assim como contra o Valencia e o Sevilla, tomamos a difícil decisão de cobrar aos torcedores do Barcelona o mesmo valor. (…) Usaremos o valor adicional obtido com isso para financiar nossas viagens pagando a diferença de preço de 27 libras para cada um de nossos fãs”, explicou o United.

Na Liga dos Campeões, os clubes têm o direito de estabelecer seus próprios preços de ingressos e as reclamações de torcedores visitantes têm crescido nos últimos anos. Nesta temporada, fãs do Bayern de Munique levaram faixas ao Anfield, estádio do Liverpool, com a mensagem: “Ingressos para visitantes: Liverpool 48 libras. Bayern 55 euros. A ganância não conhece limites. Vinte é muito”, estava escrito em três faixas distintas, em inglês.

Publicidade