Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Por que o lateral do PSG pediu silêncio após marcar 3 gols

Layvin Kurzawa vinha sendo muito criticado por errar cruzamentos no PSG e na seleção francesa. Contra o Anderlecht, ele fez história na Liga dos Campeões

Por Da redação - Atualizado em 1 nov 2017, 10h23 - Publicado em 1 nov 2017, 10h16

Layvin Kurzawa roubou a cena na goleada por 5 a 0 do Paris Saint-Germain sobre o Anderlecht nesta terça-feira, na capital francesa. O lateral-esquerdo se tornou o primeiro jogador de defesa a marcar três gols em uma partida da Liga dos Campeões, mas não demonstrou tanta alegria: ele chegou a “celebrar” um dos gols pedindo silêncio e após o jogo, evitou papo com jornalistas. O motivo: as constantes críticas por sua falta de pontaria.

Kurzawa, de 25 anos, vinha sendo alvo da imprensa local especialmente por suas atuações na seleção francesa. No vexatório empate em 0 a 0 contra Luxemburgo, pelas eliminatórias da Copa do Mundo, em setembro, o jogador errou todos os 17 cruzamentos que tentou. A fama de “pé torto” foi motivo de piadas e críticas pesadas, inclusive em grandes jornais do país.

A revista France Football o definiu como o “símbolo do fracasso francês” na partida contra Luxemburgo. Já o jornal L’Equipe fez uma charge, zombando do fato de Kurzawa ser vizinho de Neymar.

Na imagem, o atacante brasileiro aparece na varanda de sua mansão reclamando de ter tido suas janelas quabradas.”Layvin, você poderia treinar cruzamento do outro lado?”, questiona Neymar. “Mas eu estava mirando do outro lado”, responde Kurzawa, na ilustração.

O lateral passou sem falar com os jornalistas na zona mista do Parque dos Príncipes. Só falou ao canal beIN Sports, que pertence ao grupo do Catar que é dono do PSG, e desconversou sobre o sinal de silêncio. “O gesto foi para todos, uma atitude emocional. Estou feliz por mim e pelas pessoas que me rodeiam.”

Publicidade