Clique e assine a partir de 9,90/mês

Por que falar em Yaya Touré no Vasco é um acinte a quem trabalha no clube

A fala de Leven Siano, candidato de oposição à presidência cruzmaltina, não caiu bem entre funcionários e atletas, que não recebem salários há meses

Por Danilo Monteiro - Atualizado em 22 maio 2020, 16h57 - Publicado em 22 maio 2020, 16h31

Um vídeo publicado por Leven Siano, um dos candidatos de oposição à presidência do Vasco, viralizou nas redes sociais na última quinta-feira 22. Nele, o cartola anuncia que fará a contratação do meia Yaya Touré, que havia se aposentado no ano passado, caso vença nas urnas a eleição do clube em novembro. Ao ritmo de samba, Leven trouxe um depoimento do próprio marfinense em suas redes sociais. “Gostaria de agradecer ao Leven por me convidar para este projeto. Não vejo a hora de encontrar os torcedores do Vasco assim que possível. Vai dar Vasco”, disse o jogador de 37 anos. Yaya provavelmente, não se deu ao trabalho buscar as manchetes recentes do clube.

Com pelo menos três meses de salários atrasados para atletas e funcionários, soa como um acinte usar uma contratação desse tipo como promessa eleitoral. Em 2020, o Vasco pagou os salários de janeiro apenas a jogadores que recebem menos de 50 000 reais. Os meses de fevereiro, março e abril ainda estão em aberto. Os funcionários não receberam os vencimentos de janeiro, março e abril deste ano. “O que me incomoda é que no ano de eleição, chega um cara e fala que vai trazer três jogadores da Europa para o Vasco. Aí eu penso: ‘Será que estou nesse time que ele está falando?’. Eu não consigo entender. É loucura”, desabafou o zagueiro Leandro Castán, capitão do Vasco, em live do canal Fui Clear, no YouTube.

View this post on Instagram

Com Leven, Yaya Touré vai jogar em que clube? Hein? Qual clube mesmo? No VAAAASCOOOOO !!!! Tem que respeitar, o Vasco é gigante! ⚽💢 Vai Dar Vasco 💢⚽ #Leven2020 #Vasco #OVascoTemPressa #SomosOMaiorClubeDoMundo #VaiDarVasco @realtoureyaya

Continua após a publicidade

A post shared by Luiz Roberto Leven Siano (@levensiano) on

Mesmo que Leven vença a eleição e Yaya Touré desembarque em São Januário de graça, o novo mandatário teria ainda que equacionar mais de 700 milhões de reais em dívidas. O atual presidente, Alexandre Campello, chegou a contratar o técnico Abel Braga no fim de 2019 já avisando sobre a situação caótica das finanças do clube. “Ele me disse: ‘Vou te pagar, mas não pense que vou te pagar em dia’”, disse Abel no dia de sua apresentação, em dezembro passado. Nem isso o clube conseguiu cumprir: o treinador pediu demissão em março sem ter recebido um salário sequer.

Leven, em entrevista ao canal Pilhado, explicou que a contratação de Yaya Touré é um investimento. “É isso que por vezes o torcedor não entende. Não é um custo, é um investimento. À medida que você traz um jogador deste quilate, as empresas começam a se movimentar. Acho que isso (a contratação) vai explodir. Outros jogadores que estavam na dúvida já estão batendo na porta. Estou tentando arrumar dinheiro. Para o Yaya, já consegui um patrocínio para as mangas da camisa que paga o investimento”, explicou.

Após vencer a Liga dos Campeões pelo Barcelona em 2010, Touré foi para o Manchester City, onde fez parte do processo de crescimento do time no futebol inglês e se tornou ídolo durante suas oito temporadas pelo City. Em 2018, Touré deixou a Inglaterra e passou uma temporada sem jogar até assinar com o Qingdao Huanghai, da China, onde disputou apenas 13 partidas. O volante, também em 2019, foi para o Olympiakos, mas jogou apenas cinco jogos em três meses e rescindiu contrato. Touré, desde então, está sem clube.

Publicidade