Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia vai à Granja Comary durante coletiva de Tite sobre caso Neymar

Viatura chegou ao CT da seleção no momento em que o técnico concedia entrevista; delegacia especializada investiga divulgação de vídeo por parte do atacante

Policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) foram à Granja Comary, centro de treinamento da seleção brasileira, em Teresópolis (RJ), no fim da manhã desta segunda-feira, 3. O departamento apura o vídeo publicado por Neymar para se defender da acusação de estupro. A viatura chegou ao local no momento em que o técnico Tite concedia entrevista coletiva na Granja Comary – o principal tema das perguntas foi justamente a acusação contra o atacante.

A seleção brasileira está concentrada para a disputa da Copa América, no Brasil, a partir de 14 de junho. A equipe faz amistoso contra o Catar na noite da próxima quarta-feira, em Brasília.

Tabela completa de jogos da Copa América 2019

A delegacia especializada investiga possível crime na divulgação do conteúdo por parte do atacante do Paris Saint-Germain, que mostrava trechos de uma conversa e fotos íntimas da mulher que o acusa. Desde o ano passado, a publicação de vídeos que contenham imagens íntimas sem consentimento das partes é considerado crime passível de prisão. O vídeo foi retirado do ar nesta madrugada pelo Instagram.

Os policiais saíram da Granja no início desta tarde sem dar declarações. A assessoria de imprensa da Polícia Civil se limitou a informar que a DRCI vai “apurar suposta divulgação de vídeo por parte do jogador Neymar”. A declaração é a mesma dada pela polícia no domingo, quando uma viatura da 110ª DP (Teresópolis) também foi à Granja.

A CBF disponibilizou assessoria jurídica a Neymar. O coordenador da seleção, Edu Gaspar, afirmou na manhã desta segunda que foi orientado a ficar “100% à disposição” para ajudar a resolver o caso “o mais rápido e da melhor maneira possível”.

Desde que a acusação de estupro contra Neymar veio à tona, no sábado, o tema é tratado com muita discrição na seleção. Ainda nesta segunda, o técnico Tite foi bombardeado com perguntas sobre o tema. Ele não fez uma defesa enfática do jogador, mas disse que não poderia julgá-lo.

“Sei da importância do assunto, tenho a real dimensão. E sei que ele é pessoal e tem um tempo para que as pessoas possam julgar os fatos. Eu não vou me permitir julgar os fatos”, afirmou Tite. “O que eu posso afirmar é que são três anos de convívio e que os assuntos que nós tratamos foram leais e verdadeiros. Eu não posso julgar, isso eu não faço.”