Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia de Madri espera mais de 400 torcedores violentos em Boca x River

O efetivo de policiais para o jogo será dobrado se comparado aos clássicos entre Real Madrid e Barcelona

As autoridades da Espanha admitem que um grupo ‘especialmente violento’ de cerca de 400 a 500 torcedores argentinos causam preocupação para a final da Copa Libertadores, no domingo, entre Boca Juniors e River Plate. A decisão do título, por motivos de segurança, será no estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

Os torcedores considerados violentos fizeram a viagem de Buenos Aires até Madri no últimos dias. Um deles, Maxi Mazzaro, foi deportado logo ao desembarcar na capital espanhola na noite de quarta. Ele é um dos líderes de uma ala radical da torcida do Boca Juniors. Por causa dessa preocupação as autoridades espanholas destacaram cerca de 4.000 integrantes da polícia para fazer a segurança da partida, marcada para as 17h30 (de Brasília) de domingo. Trata-se do dobro do efetivo geralmente destacado para acompanhar os clássicos entre Real Madrid e Barcelona.

De acordo com José Manuel Rodríguez Uribes, autoridade do governo que supervisiona a segurança do jogo, o planejamento trata o evento como de ‘alto risco’. Por isso, a polícia manterá o nível de alerta no máximo para vigiar torcedores com maior potencial de causar problemas antes, durante e depois da decisão do título.

Boca e River vão decidir o título da Libertadores no estádio do Real Madrid, em solo europeu, por causa dos incidentes ocorridos antes da partida marcada inicialmente para o dia 24, no Monumental de Núñez, estádio do River Plate. Poucas horas antes do início do jogo, o ônibus do Boca foi apedrejado por torcedores do River e jogadores ficaram machucados, o que impediu a realização da partida decisiva. Dias depois, a Conmebol anunciou punição ao River e decidiu que o jogo seria realizado fora da Argentina. O estádio Santiago Bernabéu foi o escolhido, apesar da oposição dos dois finalistas.