Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Peru chega à Rússia para disputar sua primeira Copa em 36 anos

A delegação completa posou para uma foto assim que desembarcou em Moscou neste domingo

A seleção do Peru já está na Rússia para disputar sua primeira Copa em 36 anos, já que sua última participação foi na Espanha 1982. Os peruanos aterrissaram em Moscou neste domingo, onde foram recebidos por um grande público apesar das temperaturas estarem baixas, inclusive para a primavera na região.

Em uma mostra da emoção do momento, a delegação peruana completa posou para uma foto na mesma pista com a tripulação do avião que lhes trouxe à capital russa desde Gotemburgo.

Imediatamente, a seleção peruana se deslocou para o hotel de concentração, que fica nas imediações do aeroporto internacional Sheremetievo, nos arredores de Moscou. O primeiro treino, que será aberto à imprensa e torcedores, acontece nesta segunda pela manhã no estádio de Khimki.

A própria FIFA deu as boas-vindas à seleção latino-americana com imagens dos seus jogadores descendo pela escada do avião. Entre eles, estava Jefferson Farfán, estrela do Lokomotiv Moscou, que se proclamou nesta temporada campeão local pela primeira vez em 12 anos com uma grande contribuição do jogador.

Destaque também para Paolo Guerrero, que finalmente poderá disputar a Copa após receber o aval da FIFA, e o técnico da seleção nacional, Ricardo Gareca. Farfán e Guerrero foram a dupla de ataque no último jogo amistoso disputado ontem em Gotemburgo contra a Suécia, que acabou com empate sem gols.

Em 1982 o Peru ficou em um grupo que incluía Itália, Camarões e Polônia, e foi eliminado na primeira fase apesar de ter uma grande equipem, após empatar com os dois primeiros e perder para os eslavos. Desta vez, os peruanos estrearão no dia 16 de junho contra a Dinamarca em Saransk, após o que deverá enfrentar a França, a grande favorita do Grupo C, e a Austrália.

Os peruanos estão há 15 partidas sem perder, mas os dinamarqueses somam uma sequência de 13 jogos sem conhecer a derrota. EFE