Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Perícia conclui que médico de Maradona falsificou assinaturas

Promotoria do caso acredita que Leopoldo Luque forjou assinaturas para obter o histórico médico de Maradona; ele é acusado de homicídio culposo

Por Da Redação Atualizado em 22 jan 2021, 16h58 - Publicado em 22 jan 2021, 13h19

Acusado formalmente pela Justiça da Argentina, o médico Leopoldo Luque, responsável pela saúde de Diego Armando Maradona, morto em 25 de novembro, devido a um edema agudo de pulmão e insuficiência cardíaca, teve mais agravantes na investigação. A perícia caligráfica concluiu que Luque forjou assinaturas do ídolo argentino. Os documentos foram encontrados em sua casa em Adrogué, província de Buenos aires.

Após os estudos, a promotoria acredita que Luque tentou reproduzir a assinatura para obter de forma irregular o histórico médico de Maradona. Na casa do médico foram encontradas diversas folhas com tentativas. As informações e cópia do documento foram divulgadas pelo diário Olé.

“Da minha mais alta consideração, eu, Diego Armando Maradona, escrevo para solicitar que meu médico particular, Dr. Leopoldo Luque, receba uma cópia de meu prontuário. Muito obrigado”, disse no documento dirigido a Clinica Olivos, em 1º de setembro, onde Maradona foi operado de um hematoma no lado esquerdo da cabeça.

  • Luque é acusado pela promotoria de homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Além da investigação no entorno da morte do jogador, a Justiça também verifica se o médico tentou falsificações em outros documentos relacionados ao antigo camisa 10.

    O material investigativo ainda reúne mensagens pelo aplicativo WhatsApp, áudios e ligações entre diversas pessoas ligadas a Maradona, como Luque e, também, a psiquiatra Agustina Cosachov. Segundo a promotoria, ainda não há provas suficientes para determinar se houve negligência médica nos últimos dias de vida do astro do futebol.

    A promotoria quer saber o motivo de Maradona ter recebido alta quando estava internado em uma clínica, depois de uma operação de um tumor na cabeça. Do local, ele foi para um condomínio fechado em Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires.

    Poucas horas depois da morte do ídolo, o advogado Matías Morla afirmou que a ambulância demorou mais de meia hora para chegar à casa onde estava Maradona. Luque chegou a convocar uma entrevista em Buenos Aires para se defender e se emocionou ao afirmar que não teve culpa.

    As filhas do astro (Dalma, Gianinna e Jana) acusam Luque de negligência média. Maradona chegou a ficar 12 horas sem atendimento medico até sofrer uma parada cardiorrespiratória. Ele era acompanhado por uma equipe médica no lar.

    UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

    Continua após a publicidade
    Publicidade