Clique e assine com até 92% de desconto

Panamá chega a sonhar com o impossível, mas Bélgica vence

Após segurarem empate no primeiro tempo, panamenhos são superados pelos belgas na abertura do Grupo G

Por Fernando Beagá Atualizado em 18 jun 2018, 18h38 - Publicado em 18 jun 2018, 14h10

Durante 45 minutos o Panamá sonhou com uma estreia épica na Copa do Mundo da Rússia, ao segurar o empate com a Bélgica no primeiro tempo. Os diabos vermelhos trataram de realinhar as forças logo no reinício da partida, para construírem a vitória por 3 a 0, na abertura do Grupo G. Não foi uma boa atuação da chamada ‘ótima geração belga’, que ao menos cumpriu sua obrigação, ao contrário de outros favoritos ao título que tropeçaram em suas estreias — Argentina, Alemanha e Brasil.

Considerado herói nacional no Panamá — pelo gol que valeu a vaga na Copa —, o capitão e zagueiro Román Torres foi o protagonista do primeiro tempo. Primeiro como vilão, ao recuar mal e permitir uma tentativa (frustrada) de Hazard; depois, como salvador da pátria, cortando cruzamento de De Bruyne que encontraria Lukaku livre. O goleiro Penedo também ajudou a manter o empate, com defesas difíceis em chutes de Mertens, logo aos oito minutos, e de Hazard, aos 38. Do outro lado, Courtois não foi incomodado.

Empurrados pela maioria do público no estádio olímpico de Sochi — entre compatriotas e simpatizantes russos —, os panamenhos saborearam o feito por pouco tempo após o intervalo. Aos dois minutos, Mertens encobriu Penedo e destravou o placar. O gol sofrido encorajou o Panamá a ameaçar pela primeira vez, mas o lateral Murillo foi interceptado pela envergadura de Courtois.

  • Maior artilheiro da história da seleção belga, Lukaku finalmente apareceu na partida. Em seis minutos, ampliou seu currículo de 36 para 38 gols com a camisa vermelha e definiu a vitória. Completou de cabeça bela jogada de De Bruyne, depois disparou em velocidade para receber livre e tocar sutilmente sobre o goleiro panamenho, que joga no Dinamo Bucareste, da Romênia. Satisfeitos, os belgas diminuíram o ritmo até o apito final.

    No sábado, 23 de junho, a Bélgica enfrenta a Tunísia, às 9 horas. No dia seguinte, no mesmo horário, o Panamá encara a Inglaterra, em Níjni Novgorod.

    Ponto alto

    Aos 39 minutos do segundo tempo, o atacante belga Thorgan Hazard, do Borussia Mönchengladbach, da Alemanha, entrou em campo e fez história ao estar em uma Copa do Mundo com seu irmão, Eden Hazard. Há mais dois irmãos (Kylian e Ethan) que trilham caminho de sucesso no futebol.

    Ponto baixo

    A pequena presença de torcedores belgas no estádio, em Sochi, foi decepcionante para a representatividade do país nesta Copa, entre os favoritos. A expectativa é que se empolguem à medida que sua seleção avançar.

    Ficha do jogo

    Bélgica 3 x 0 Panamá
    Local: estádio Olímpico Fisht, em Sochi. Árbitro: Janny Sikazwe (ZAM). Público: 43.257. Gols Mertens, aos 2, Lukaku aos 24 e 30 minutos do segundo tempo.
    Bélgica: Courtois; Alderweireld, Boyata e Vertonghen; Meunier, Witsel (Chadli), De Bruyne e Carrasco (Mousa Dembélé); Mertens (Thorgan Hazard), Lukaku e Hazard. Técnico: Roberto Martínez.
    Panamá: Penedo; Murillo, Román Torres e Davis; Gómez; Godoy, Bárcenas (Gabriel Torres), Rodríguez (Díaz) e Cooper; Blas Pérez (Tejada). Técnico: Hernán Darío Gómez.

    Continua após a publicidade
    Publicidade