Clique e assine a partir de 9,90/mês

Palmeiras empresta jogadores para atender a pedido de Felipão

Alguns jogadores ainda devem deixar o alviverde neste início de temporada

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 18 jan 2019, 17h27 - Publicado em 18 jan 2019, 08h09

A diretoria do Palmeiras está com empréstimos de jogadores encaminhados para reduzir o elenco e atingir o número de 30 atletas, como quer o técnico Luiz Felipe Scolari. Nesta quinta-feira, o clube fechou a ida do meia Vitinho para o São Caetano e encaminhou negociações para ceder o meia Hyoran ao Botafogo e o zagueiro Leandro Almeida para o Paraná.

Embora tenha iniciado a pré-temporada com 36 jogadores, o treinador prefere trabalhar com um número menor de opções para não ter atletas pouco utilizados no elenco. Por isso, desde o começo do ano a diretoria recebeu contatos e procurou facilitar as saídas. O próprio Felipão, por exemplo, conversou com o técnico Rogério Ceni, do Fortaleza, sobre a ida do zagueiro Pedrão.

O elenco profissional tem mais de 40 jogadores vinculados ao clube. Alguns deles sequer chegaram a se apresentar a Felipão, por já não estarem nos planos da diretoria. O zagueiro Leandro Almeida, por exemplo, tem sido emprestado em sequência para outras equipes e deve ter como próximo destino o Paraná. O volante Arouca esteve no Vitória no ano passado e interessa ao Guarani.

Antes de Vitinho, o Palmeiras havia fechado os empréstimos de Artur (Bahia), Allione (Rosário Central), Papagaio (Atlético-MG) e Erik (Botafogo). Fora a possível saída de Hyoran ao Botafogo, a diretoria chegou a conversar com o Inter sobre a ida do lateral Fabiano. O zagueiro argentino Nico Freire, que nunca foi escalado por Felipão, recebeu sondagem para se transferir para o Peñarol, do Uruguai e já rescindiu contrato com o clube paulista.

Continua após a publicidade

O meia venezuelano Alejandro Guerra despertou o interesse do Cerro Porteño, do Paraguai, mas, a conversa não avançou. O próprio jogador recusou a ideia. O Atlético-MG foi outro clube a ter planejado contar com Guerra, ao propor a chegada dele como contrapartida pela venda do lateral Marcos Rocha.

Publicidade