Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Os destaques depois de uma semana de Copa do Mundo

Cristiano Ronaldo fez todos os gols da seleção portuguesa e é artilheiro do Mundial

Por Silvio Nascimento Atualizado em 30 jul 2020, 20h17 - Publicado em 21 jun 2018, 05h21

SÃO PETERSBURGO – A Copa do Mundo na Rússia completa uma semana nesta quinta-feira. Com 20 jogos realizados até a noite desta quarta, do total de 64 até a final em 15 de julho, um balanço com alguns dos principais fatos deste Mundial.

1 – Quatro estrelas, só uma brilha

Em duas partidas, Cristiano Ronaldo fez os quatro gols de Portugal e é o artilheiro da competição até agora. Lionel Messi entra em campo nesta quinta contra a Croácia, às 15h (de Brasília), para apagar a imagem de derrotado da primeira partida, em que perdeu pênalti e não teve forças para empurrar a sua seleção à vitória. Neymar fez uma estreia fraca com a seleção brasileira – volta a campo nesta sexta, contra a Costa Rica. E Mohamed Salah também não brilhou: sua seleção foi eliminada nesta quarta, ao perder para o Uruguai por 1 a 0. Salah marcou o gol do Egito na derrota por 3 a 1 para a Rússia.

Foto: David Ramos/FIFA/Getty Images

2 – Moscou latina

Desde o início da semana da abertura da Copa, o idioma mais ouvido em Moscou era o espanhol. Os torcedores de México, Argentina, Colômbia, Uruguai e Peru estavam por toda parte, exibiam as camisas das seleções ou as cores das bandeiras e quase sempre entoavam os cantos que enchem as arquibancadas dos estádios. E claro também havia muitos brasileiros – o Brasil jogo no dia 27 em Moscou, no estádio do Spartak.

3 – Choque climático

Moscou teve dias muito quentes, beirando os 30 graus, com sol, e mínima de14; e outros mais frescos, na casa dos 21 graus. Mas sempre com vento frio. Difícil não sentir os efeitos das mudanças ao longo do dia. E quem vai a outras sedes também sente: em Sochi, quartel-general da seleção brasileira, por exemplo, os dias chegavam sempre aos 29/30 graus e a mínima raramente descia dos 22. Em São Petersburgo, variação entre 22/23 graus e mínimas de até 9. Obrigatório carregar casacos e um kit de medicamentos antigripe.

4 – Russo gosta de futebol, só isso

Tanto em Moscou como em São Petersburgo o clima de Copa é até contido. Todos sempre parecem estar felizes em sediar o Mundial mas em nada suas rotinas são mudadas. Nos hotéis, lojas, táxis, os comentários são fugazes, elogiosos ao país de nossa origem – a primeira coisa que sempre perguntam – mas nada de euforia. A vida segue.

5 – Defesas fechadas

Até agora, a Copa mostrou equipes muito defensivas, áreas sempre cheias, o que talvez explique que quase metade dos 45 gols marcados até agora tenham sido de bolas paradas e contra (cinco) – bolas que desviam em jogadores do próprio time).

6 – Tensão na seleção

Antes da Copa, nos amistosos de preparação e até nas Eliminatórias, estava tudo perfeito na seleção brasileira. Depois o ambiente começou a mudar, com as trapalhadas do coronel Nunes, a reclamação contra o VAR – no jogo de estreia contra a Suíça – e a situação de Neymar, que foi ‘notícia’ só pelos cortes de cabelo e pelas caretas de dor. Por enquanto não surte efeito a liberação de familiares, namoradas, amigos, e ‘parças’ se hospedarem no mesmo hotel em que a seleção se concentra, em Sochi.

Continua após a publicidade

7 – Trem russo

O interesse do torcedor russo aumentou conforme a seleção venceu de forma decidida, firme. A partida de abertura, com a goleada na Arábia Saudita, deu novo ânimo para que torcedores acompanhassem a segunda vitória, sobre o Egito. Em dois jogos foram oito gols a favor e apenas um sofrido. A torcida gosta, mas ainda não se tornou uma ‘pátria de chuteiras’.

8 – VAR

O árbitro de vídeo foi o que causou maior discussão até agora. Até mesmo “especialistas”, como ex-juízes de futebol, opinaram erroneamente sobre o procedimento da utilização da tecnologia. Como sempre, Galvão Bueno exagerou e teve de pedir desculpas, pois fez reclamações estapafúrdias. A Fifa também demorou a se pronunciar sobre os detalhes dos procedimentos. Neste link, saiba como funciona o VAR numa partida.

9 – Vergonha

No fim de semana, um grupo de torcedores fez o Brasil passar vergonha ao postar vídeo em que apareciam ao lado de uma jovem, tentando convencê-la a gritar uma frase impublicável, uma referência constrangedora a ela própria. Uma velha piada de mau gosto de fazer estrangeiros repetirem termos chulos em português. Claramente sem entender o significado do que é dito, ela tenta acompanhar os torcedores. E nesta quarta, a Latam demitiu um funcionário que aparecia em outro vídeo, com mais dois homens, fazendo as mulheres repetirem em português: “Eu quero dar a b***** para vocês”.

10 – Orgulho

Apesar do constante clima de tensão política interna e externa, a Rússia está fazendo uma Copa do Mundo tranquila, sem grandes ocorrências. Há muita segurança por toda a parte, nos metrôs, hoteis, locais de intenso turismo, trens – é comum ver policiais parando carros para verificar a documentação. Há voluntários em quase todos estes pontos também que ajudam com informação – são oásis de idioma, pois quase ninguém fala outra língua que não o russo. De forma geral, os turistas/torcedores parecem estar se divertindo muito e surpresos com a arquitetura bem cuidada, tanto quanto a limpeza das cidades. É raro encontrar sujeira no chão de Moscou, por exemplo – as equipes de serviço saem pelo menos três vezes ao dia para deixar tudo limpo.

.

.

 

Continua após a publicidade
Publicidade