Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Os 50 maiores jogadores brasileiros em 2016: 30° ao 21°

PLACAR analisou o desempenho dos jogadores brasileiros na temporada de 2016 em nosso território, pela seleção e também no exterior, e elaborou um ranking exclusivo dos melhores, numa lista com surpresas e barbadas

Por Rodolfo Rodrigues Atualizado em 8 mar 2017, 14h50 - Publicado em 15 fev 2017, 15h51

Em toda discussão de futebol, em rodas de amigos, nos bares ou nos estádios, a questão de qual jogador é o melhor sempre é levantada. E isso vale para jogadores de clubes rivais aqui do Brasil e também para os craques do mundo todo que atuam na Europa. Para entrar nessa polêmica, PLACAR resolveu elaborar um ranking com os 50 melhores jogadores do mundo em 2016. Porém, deixamos de lado o critério subjetivo (esse é melhor que aquele e pronto).

Analisamos o desempenho de mais de 150 jogadores no Brasil e no mundo, entre aqueles que obviamente se destacaram. Entre os critérios utilizados para a formação e ordenação da lista fnal, concentramos nos seguintes: desempenho e número de jogos pela seleção brasileira e pela seleção olímpica; mínimo de 25 jogos no ano; títulos ou finais alcançadas nos clubes e seleções; e titularidade nas equipes. Ainda assim, demos peso maior àqueles que atuam nas grandes ligas do futebol mundial (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha, França, Brasil e Portugal) e também por quem teve alguma relevância nos grandes torneios de clubes, como Liga dos Campeões, Copa Libertadores, Liga Europa e Mundial de Clubes.

Com tantas variáveis, não foi fácil fechar a lista. Algumas injustiças podem até ter ocorrido – queremos o seu retorno em nossas redes sociais depois! Mas a escolha dos três primeiros colocados parece indiscutível. Ficaram de fora desse ranking os jogadores nascidos no Brasil, mas que se naturalizaram por outro país e que atuam também por outras seleções nacionais. Casos de Pepe (zagueiro do Real Madrid); Diego Costa (atacante do Chelsea); Thiago Alcântara (meia do Bayern Munique); e Thiago Motta (meia do Paris Saint-Germain).

Veja os colocados entre o 30° e 21° lugares

30° – Geromel – zagueiro/Grêmio/31 anos

O zagueiro foi eleito um dos melhores defensores do Campeonato Brasileiro pela Seleção Placar. O jogador roubou 43 bolas no Brasileirão e marcou três gols. Foram 15 jogos à frente da zaga sem tomar gol. Além disso, cometeu apenas 20 faltas, levou cinco cartões amarelos e nenhum vermelho, isso em 26 jogos. Geromel foi importante na conquista da quinta Copa do Brasil do Grêmio, dando uma assistência fundamental na final da competição.

Agif

29° – Douglas Santos – lateral esquerdo/Hamburgo-ALE/22 anos

Campeão olímpico no Rio de Janeiro, Douglas Santos teve também um ótimo primeiro semestre no Atlético Mineiro, o que lhe rendeu a transferência para o Hamburgo, da Alemanha, em agosto de 2016. Lá, conquistou a confiança dos torcedores e assumiu a titularidade. Porém o Hamburgo luta contra o rebaixamento e o momento do time pode ter afastado suas chances na seleção principal.

Getty Images

28° – Felipe Anderson – meia/Lazio-ITA/23 anos

Mais um jogador da geração campeã olímpica, Felipe Anderson se firmou na Lazio nesta temporada. Atualmente, o meio-campista é líder de assistências do Campeonato Italiano, com sete passes dados para gol (até dezembro de 2016). Peça fundamental na equipe comandada por Simone Inzaghi, o jogador caminha para seu melhor ano na equipe italiana. O retrospecto de Felipe pode abrir espaço para ele na seleção principal.

Getty Images

27° – Rafinha – meia/Barcelona/23 anos

A expectativa em cima de Rafnha, filho do ex-jogador Mazinho, é sempre grande. O meia habilidoso e com visão de jogo, atualmente no Barcelona, fez um ano de afirmação. O jogador de 23 anos participou da equipe brasileira campeã olímpica, atuando em cinco jogos. Na atual temporada da equipe da Catalã, o meio-campista marcou cinco gols em apenas dez jogos. Promissor, o atleta deve ganhar espaço na seleção comandada por Tite.

Agif

26° – Lucas Moura – atacante/PSG/23 anos

Em seu quarto ano no futebol francês, o atacante Lucas conseguiu seu melhor desempenho. Em 2016, disputou 58 jogos pelo clube (contra 54 de 2014, 44 de 2015 e 40 de 2013) e marcou 17 gols (contra oito de 2014 e 2015 e apenas três de 2013). Além disso, o rápido e habilidoso atacante ganhou todos os quatro títulos disputados na França. Faltou-lhe apenas um ano melhor na seleção, onde jogou apenas uma partida, e como reserva, na Copa América.

Getty Images

25° – Ricardo Goulart – atacante/Guanhzhou Evergrande-CHN/25 anos

Bicampeão brasileiro em 2013 e 2014 pelo Cruzeiro, Ricardo Goulart repetiu a dose pelo Guangzhou Evergrande, sendo duas vezes campeão chinês. Eleito o melhor jogador do Brasileirão em 2014, repetiu o feito na China, em dose dupla, sendo escolhido o craque da Liga nas duas últimas edições (2015 e 2016). Nesta última, foi também o artilheiro da competição com 20 gols pelo time do técnico Felipão.

Getty Images

24° – Dudu – meia/Palmeiras/24 anos

Em duas temporadas pelo Verdão, o jogador já conquistou a Copa do Brasil 2015 e o Campeonato Brasileiro 2016. O atual título nacional lhe rendeu a indicação para a Seleção Placar como um dos melhores meias da competição. Dudu marcou seis gols e foi líder de assistências no Verdão, além de ser o coração e capitão da equipe em campo. Apesar de duas temporadas em alto nível, os olhos de Tite parecem ainda estar fechados para o craque palmeirense.

Alexandre Battibugli

23° – Lucas Lima – meia/Santos/26 anos

O jogador de 26 anos conquistou em 2016 o Campeonato Paulista, marcando dois gols e dando cinco assistências. É considerado um dos melhores meias do Brasil. Seu futebol chamou a atenção de times da China e da Europa. Mas, visando jogar a Libertadores pelo Santos, o meia preferiu fcar na equipe treinada por Dorival Júnior. Procurando achar seu lugar na seleção brasileira, Lucas Lima disputou sete jogos, apenas um como titular (na Copa América).

Alexandre Battibugli

22° – Giuliano – meia/Zenit/23 anos

Giuliano foi transferido do Grêmio para o Zenit em julho de 2016 por cerca de 7 milhões de euros. Chegando lá, o meio-campista foi destaque do time russo na Liga Europa, onde foi eleito pela Uefa para a seleção da fase de grupos da competição. Nela, foram seis jogos, seis gols feitos e cinco assistências dadas. Na Liga Russa, fez mais oito gols em 17 jogos. A boa atuação na Europa rendeu-lhe a convocação para a seleção brasileira com o técnico Tite.

Getty Images

21° – Luan – atacante/Grêmio/23 anos

Em 2016, Luan foi ouro na Olimpíada e campeão da Copa do Brasil pelo Grêmio. Um ano praticamente perfeito para o atacante de apenas 23 anos. Pelo time gaúcho foram 12 gols em 54 jogos na temporada. Já na seleção olímpica, foram seis jogos e três gols marcados. Seu bom desempenho chamou a atenção de clubes do exterior, como o Liverpool, da Inglaterra. Mas a diretoria gremista renovou o contrato da joia tricolor até 2018.

Agif

Continua após a publicidade
Publicidade