Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Opinião: ausência de Fabinho é mais grave que proteção de Tite a Neymar

Treinador preteriu o volante de 25 anos, destaque do Liverpool na temporada, e deu novas oportunidades a Fernandinho, de 34

O perdão de Tite a Neymar, o seu “Capitão Problema”, dominou o noticiário depois da convocação da seleção brasileira para a Copa América, sobretudo pela forma evasiva com a qual o treinador tratou os recentes casos de indisciplina do craque. A presença de Neymar na lista, no entanto, não foi nenhuma surpresa – nem um absurdo, já que, quando esteve em forma, o camisa 10 manteve alto nível (23 gols e 13 assistências em 28 jogos oficiais nesta temporada, segundo dados do site Transfersmarkt.). Mas uma ausência chocou: a de Fabinho, de 25 anos, polivalente jogador do Liverpool, um dos destaques da temporada europeia.

O jogador revelado pelo Fluminense é um dos homens de confiança do técnico Jürgen Klopp no clube finalista da Liga dos Campeões e tem, além da boa fase e da versatilidade (é volante, mas pode ser improvisado na lateral-direita), a juventude como um de seus trunfos. Justamente o contrário de Fernandinho, também referência no Manchester City de Pep Guardiola, bicampeão inglês, mas que já tem 34 anos e muito dificilmente chegará à Copa do Catar, em 2022.

Tite justificou sua escolha, mas não convenceu. “Todas as posições do setor estão bem justificadas e escolhidas. É duro, mas ao técnico cabe medir desempenhos, e foi a decisão que tomei. O Fabinho vive um grande momento. Qualquer escolha estaria bem feita. Não tem demérito, tem os três (Fabinho, Fernandinho e Casemiro) em altíssimo nível.” Tite, no entanto, ainda optou por Allan, do Napoli – que, aliás, chamou com anos de atraso e só depois de forte assédio da seleção italiana –, que não fez sua melhor temporada na Europa. Esteve muito abaixo de Fabinho.

Tite teimoso

A insistência de Tite por Fernandinho parece muito mais emocional do que racional. Em diversas oportunidades, Tite lamentou as críticas, consideradas por ele “covardes”, ao jogador marcado por falhas nas eliminações da seleção nas duas últimas Copas, contra Alemanha e Bélgica, respectivamente. De fato, é injusto eleger Fernandinho como único vilão. Mas, se nem o próprio Fernandinho parecia disposto a voltar ao time, por que não deixá-lo desfrutar do prestígio e sossego que tem na Inglaterra e olhar para frente? Tite optou por ir até Manchester convencer Fernandinho a voltar. Mas não quis pegar um avião para adiantar o papo com o indisciplinado Neymar. Difícil entender.

O técnico ainda optou por outros veteranos, todos no setor defensivo: Daniel Alves (36 anos), Thiago Silva (34 anos), Miranda (34 anos), e Filipe Luís (33 anos). Escolhas compreensíveis, mas não tão necessárias. É bem provável que ele tenha dificuldades para organizar o setor no Mundial do Catar – parece mais preocupado em vencer a Copa América e, assim, não balançar no cargo. De mais positivo, a convocação de David Neres, de 22 anos, que aproveitou bem a chance que teve após o corte de Vinícius Junior, que, aos 18 anos, terá de esperar sua vez.