Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ônibus do Palmeiras é apedrejado; ‘Não tenho medo de bandido’, diz Scolari

Ataque ocorreu antes de vitória de 3 a 0 sobre o Junior Barranquilla, pela Libertadores

O ônibus que transportava a delegação do Palmeiras da Academia de Futebol para o Allianz Parque foi atingido por pedras e garrafas atiradas por vândalos antes da partida em que venceu o Junior Barranquilla por 3 a 0, nesta quarta-feira, 10, pela Copa Libertadores.

Os jogadores não deram entrevistas no desembarque no estádio. A Polícia Militar acompanhou a chegada da delegação e logo dispersou o grupo de torcedores que aguardava o veículo. Imagens nas redes sociais mostram que o ônibus apresentou um pequeno dano na lateral provocado por uma das pedras arremessadas.

Também nesta quarta-feira, os muros do clube amanheceram pichados com protestos assinados pela Mancha Alviverde Leste, membros da torcida da Zona Leste de São Paulo, rompidos com a atual direção da principal torcida organizada do clube.

Entre os recados, a torcida pediu as saídas do atacante Miguel Borja e da patrocinadora Leila Pereira, assim como xingou o time de “pipoqueiro” e criticou a torcida organizada Mancha Alviverde.

Um novo ataque ao ônibus do Palmeiras era planejado para depois da partida, mas nada aconteceu. Na entrevista coletiva depois do jogo, o técnico Luiz Felipe Scolari disse que o time não sentiu medo pelo ataque ao ônibus e que o episódio foi tratado com naturalidade pelo elenco.

“Eu não tenho medo de bandido. Ninguém tem. Temos respeito pelo nosso torcedor, pelo nosso clube. Ninguém estava assustado. Tanto é que os jogadores enfrentaram isso com naturalidade. Não vamos dar visibilidade a quem não merece”, afirmou o treinador.

“Eu tenho de agradecer à verdadeira torcida do Palmeiras. Eu e meus jogadores devemos bater palmas a eles. O restante eu não tenho que comentar”, comentou o treinador. O time bateu a equipe colombiana com gols de Deyverson, Dudu e Hyoran.

Veja a tabela e classificação da Copa Libertadores

Segundo Felipão, o incidente não merece repercussão. “Não vamos dar visibilidade a quem não merece. É por isso que eles fazem”, disse. A polícia prendeu dois torcedores que atiraram pedras no veículo. O ônibus ficou danificado em uma das janelas e na lataria, mas nenhum jogador ou membro da comissão técnica se feriu no ataque.

O Palmeiras condenou no início da madrugada desta quinta-feira a violência sofrida pelo ônibus que levava a delegação da equipe. Em nota oficial, o clube chamou de “covarde” e “lamentável” o ato, além de classificar os envolvidos como “vândalos”.

O ataque aconteceu três dias após o Palmeiras ser eliminado pelo São Paulo na semifinal do Campeonato Paulista, nos pênaltis, no Allianz Parque. O time vinha de três partidas seguidas sem marcar gols e passa pelo momento mais turbulento da temporada. Antes do clássico com o São Paulo, em que foi eliminada no Estadual, a equipe tinha sofrido a primeira derrota na Libertadores, ao perder por 1 a 0 para o San Lorenzo, na Argentina, na última terça-feira.