Clique e assine a partir de 8,90/mês

O que aconteceu com clubes maranhenses que já jogaram 1ª divisão nacional?

Desde que disputaram a primeira divisão pela última vez, o que aconteceu com essas equipes do Maranhão?

Por Lucas Mello - Atualizado em 2 mar 2017, 16h52 - Publicado em 12 jul 2016, 11h01

O que houve com os clubes que uma vez disputaram a primeira divisão do Brasileiro, representando o Maranhão desde sua última participação na competição?

PLACAR traz o histórico dessas equipes desde a última vez que disputaram a série A do Brasileiro.

Veja abaixo:

Clubes do Maranhão que já jogaram a primeira divisão

São
Luís (3)
: Maranhão, Moto Club e Sampaio Corrêa

MARANHÃO

Jogou a série A pela última vez em 1980, ficando na lanterna
do torneio. Em 1981, jogou a série B e caiu na primeira fase, ficando na
vice-lanterna de sua chave. Voltou a jogar a segunda divisão em 1983, e passou
pela primeira fase em primeiro lugar de sua chave, com o Guarany-CE em segundo
lugar. Na segunda fase, ficou em terceiro de seu grupo, com derrotas para
Guarani-SP e Central-PE ficando sem vaga na série A ou sequência da série B.

Em 1984, eliminou o Tiradentes-PI na primeira fase do
torneio. Na segunda, caiu diante do Remo-PA, com duas derrotas. Em 1986, voltou
à série B e caiu na primeira fase do torneio, a dois pontos (uma vitória) o
Treze-PB, que se classificou na sua chave. Em 1987, foi eliminado na primeira
fase do Módulo Branco, espécie de série C, na lanterna de sua chave, que teve
Ferroviário-CE e Sampaio Corrêa-MA como classificados.

Em 1989, esteve na série B e caiu na primeira fase, no grupo
em que se classificaram Moto Club-MA e Remo-PA. Em 1990, voltou a jogar a série
C e caiu novamente na primeira fase, eliminado no grupo que teve Paysandu e
Fortaleza como classificados.

Em 1991, voltou para a série B, e caiu novamente na primeira
fase, em chave que teve Sampaio Corrêa-MA e Paysandu classificados. Depois
disso, voltou apenas a jogar a série C em 2002. Contudo, como nos últimos anos,
caiu na primeira fase, atrás de Ferroviário-CE e Ríver-PI. O mesmo aconteceu em
2003, quando o time caiu com quatro derrotas em quatro jogos, com Viana e
Chapadinha, ambos do Maranhão.

Jogou sua última série C em 2006. Dessa vez, o clube passou
pela primeira fase, em segundo lugar, atrás apenas do Ríver-PI. Na segunda
fase, o time foi terceiro em sua chave e perdeu vaga para Ananindeua-PA e Tuna
Luso-PA.

Voltou a jogar o torneio nacional em 2013, na série D. Na
ocasião, caiu na primeira fase, perdendo vaga para Gurupi-TO e Salgueiro-PE. Em
2016, volta a jogar a série D.

MOTO CLUB

Jogou sua última série A em 1984. Em 1985, o time jogou a
série B e caiu logo na primeira fase, para a Tuna Luso-PA. No ano seguinte,
voltou a jogar a série B e voltou a cair na primeira fase, em grupo cuja vaga
ficou com o Treze-PB.

Em 1987, jogou o Módulo Branco, equivalente a uma espécie de
série C. Passou como o primeiro lugar de sua chave na primeira fase. Na
segunda, foi eliminado com derrota para a Tuna Luso-PA na prorrogação. Voltou
na série B de 1989, pasando em primeiro de sua chave na primeira fase, com o
Remo-PA em segundo. Na segunda fase, após dois empates por 1 x 1, foi eliminado
pelo Ceará nos pênaltis.

Em 1990, passou em segundo na primeira fase da série B,
atrás apenas do Sport em sua chave, por um gol. Na segunda, classificou-se como
o segundo lugar de sua chave, atrás apenas do Catuense-BA. Na terceira, no
entanto, foi lanterna de sua chave, que teve o Sport como classificado. Em
1991, foi lanterna de sua chave na primeira fase da série B. Jogou a série C em
1992 e ficou em segundo lugar de sua chave na primeira fase, eliminado
novamente pela Tuna Luso-PA.

Em 1993, jogou o qualificatório para a série B de 1994 e
conseguiu vaga, vencendo o Sampaio Corrêa-MA no jogo decisivo. Em 1994,
classificou-se na primeira fase da série B. Na segunda, no entanto, ficou em
terceiro de sua chave e viu a Desportiva-ES se classificar. Em 1995, o time
caiu na primeira fase da série B, perdendo vaga em seu grupo para o América-RN,
por um gol marcado a menos.

Continua após a publicidade

Em 1996, classificou-se na primeira fase da série B com a
segunda colocação de sua chave. Na segunda, eliminou o Santa Cruz, mas na
terceira, caiu diante do América-RN, com uma goleada em Natal. Em 1997, foi
lanterna de sua chave na primeira fase da série B e acabou rebaixado.

Em 1998, voltou a jogar a série C e ficou em primeiro de sua
chave na primeira fase. Na segunda, eliminou o Vênus-PA, com goleada em casa.
Na terceira, no entanto, caiu diante do São Raimundo-AM. Em 1999, novamente na
série C, passou pela primeira fase com o segundo lugar de sua chave, atrás
apenas do Botafogo-PB. Na segunda fase, no entanto, foi eliminado pelo
Fluminense, com derrotas em Juiz de Fora-MG e no Maracanã.

Jogou o Módulo Verde da Copa João Havelange em 2000,
classificando-se em terceiro de sua chave na primeira fase. Na segunda fase,
passou com o primeiro lugar de sua chave, chegando a fase final dos módulos.
Contudo, nesta, foi lanterna de um grupo, cujo classificado foi o Malutrom-PR.
Em 2001, jogou a série C, mas foi lanterna de sua chave, eliminado na primeira
fase. Não disputou o torneio em 2002 e 2003, mas volto em 2004. Passou com o
segundo lugar de sua chave, atrás apenas do Sampaio Corrêa-MA. Na segunda fase,
foi eliminado pelo Limoeiro-CE.

Em 2005, voltou à série C, e passou pela primeira fase com o
primeiro lugar de sua chave. Na segunda, no entanto, foi eliminado pelo
Abaeté-PA nos pênaltis. De 2006 a 2008, não se classificou para jogar a série
C. Jogou a série D de 2009, mas caiu na primeira fase, para São Raimundo-PA e
Cristal-AP.

Não jogou o torneio de 2010 a 2013, voltando à série D de
2014. Passou em primeiro lugar de sua chave, com o Remo-PA em segundo. Na
segunda, eliminou o Ituano-SP nos pênaltis, mas caiu diante do Tombense-MG nas
quartas de final, ficando sem o acesso. Não disputou o torneio em 2015 e volta
a jogar a série D em 2016.

SAMPAIO CORRÊA

Sua última série A foi em 1986. Em 1987, jogou o Módulo
Branco, espécie de série C. Passou com o segundo lugar de sua chave na primeira
fase, atrás do Ferroviário-CE. Na segunda, foi eliminado pelo Botafogo-PB nos
pênaltis. Não disputou torneio algum em 1988, mas voltou à série B em 1989.
Contudo, acabou eliminado na primeira fase, em grupo cujos classificados foram
Moto Club-MA e Remo-PA.

Não se classificou para nenhum torneio em 1990, mas voltou a
ogar a série B de 1991. O time passou em primeiro lugar de sua chave na
primeira fase. Na segunda, após dois empates em 0 x 0 com o ABC-RN, o time
perdeu sua vaga nos pênaltis. Em 1992, jogou a série C e caiu na primeira fase,
em grupo que classificou a Tuna Luso-PA. Em 1993, perdeu a vaga para a série B
de 1994 ao ser derrotado pelo rival Moto Club-MA.

Não jogou torneio nenhum em 1994, mas voltou à série C em
1995, passando em primeiro na primeira fase, mas perdendo para o Picos-PI na
segunda. Em 1996, passou em segundo de sua chave na primeira fase da série C,
atrás apenas do Gurupi-TO. Na segunda, eliminou o Fortaleza, e o Potiguar-RN na
terceira. Nas quartas de final, no entanto, pelos gols marcados fora de casa,
acabou eliminado pelo Porto-PE.

Em 1997 a história mudou e o Paio venceu a série C. Passou
em primeiro de sua chave na primeira fase. Na segunda, eliminou o Quixadá-CE,
enquanto na terceira, venceu o Santa Rosa-PA, rival também na primeira fase.
Nas quartas de final, venceu o Ferroviário-CE com duas vitórias, incluindo uma
goleada. Já no quadrangular final, foi campeão e ficou com o acesso, com o
Juventus-SP em segundo lugar.

Na série B de 1998, foi eliminado na primeira fase do
torneio, perdendo para o Vila Nova-GO no saldo de gols, e foi uma das únicas
duas equipes eliminadas nesta fase que não foram rebaixadas, ao lado do Bahia.
Em 1999, o time foi 16° na primeira fase da série B e não caiu por ter uma
vitória a mais que o União São João e graças à vitória deste sobre o Criciúma
na última rodada do torneio.

No Módulo Amarelo da Copa João Havelange de 2000, foi terceiro
colocado de seu grupo na primeira fase, classificando-se para as oitavas de
final do módulo. O adversário foi o Caxias-RS, que se classificou com uma
vitória no Sul e empate em 1 x 1 no Maranhão. Na série B de 2001, o time
escabou do rebaixamento por ter uma vitória a mais que o Sergipe, que foi para
a disputa da repescagem, salvando o Paio.

Já em 2002, o time não suportou a pressão e foi rebaixado na
série B. Voltou para a série C em 2003 e classificou-se em segundo na primeira
fase, atrás apenas do Imperatriz-MA e com a vaga por ter saldo de gols melhor
que o Santa Inês-MA. Contudo, na segunda fase, foi eliminado pelo Viana-MA.

Em 2004, voltou a disputar a série B e classificou-se em
primeiro na primeira fase, com o Moto Club-MA em segundo. Na segunda, passou
pelo Parnahyba-PI pelo gol marcado fora de casa. Já na terceira, foi eliminado
pelo Limoeiro-CE pelo mesmo motivo: o gol fora de casa.

Em 2005 e 2006 não se classificou para a série C, mas voltou
em 2007. Neste ano, passou pela primeira fase com o segundo lugar de sua chave,
atrás apenas do Barras-PI. Na segunda fase, no entanto, acabou eliminado por
Rio Branco-AC e Tuna Luso-PA em sua chave. Na série C de 2008, o time passou em
segundo de sua chave na primeira fase, atrás apenas do Picos-PI, e com um ponto
a mais que o Barras-PI. Na segunda fase, no entanto, voltou a ficar em terceiro
de sua chave, eliminado por Águia de Marabá-PA e Paysandu-PA.

Com isso, ao menos, garantiu-se na série C de 2009, já que a
série D surgia. Contudo, nessa disputa, o time foi lanterna de sua chave na
primeira fase e acabou rebaixado. Em 2010, classificou-se com a segunda
colocação de sua chave, que teve tríplice empate, com Guarany-CE em primeiro e
JV Lideral-MA em terceiro, pelo saldo de gols. Na segunda fase, goleou o CSA-AL
e empatou o segundo jogo, classificando-se. Já na terceira fase, acabou
eliminado pelo Guarany-CE.

Voltou a jogar a série D em 2011, atrás apenas do
Independente-PA em seu grupo na primeira fase. Contra o Cuiabá-MT, logo na
segunda fase, acabou eliminado. Em 2012, contudo, o time maranhense venceu a
série D. Passou em primeiro de sua chave, com 100% de aproveitamento, com o
Mixto-MT em segundo, com metade dos pontos. Na segunda fase, eliminou o
Vilhena-RO com empate e goleada. Nas quartas de final, passou pelo Mixto-MT com
dois empates, classificando-se com o gol fora de casa. Com isso, o time do
Maranhão garantiu o acesso. Na semifinal, contra o Baraúnas-RN, passou com um
empate e uma vitória em casa. Por fim, na final, empatou e venceu o CRAC-GO,
conquistando a série D de forma invicta.

Em 2013, classificou-se na primeira fase da série C, com o
quarto lugar de sua chave, com um ponto a mais que Fortaleza e CRB-AL e ficando
atrás do Treze-PB pelo número de vitórias. Nas quartas de final, venceu o Macaé-RJ
em casa e empatou no Rio de Janeiro, garantindo acesso para a série B. O time
do Maranhão ainda eliminou o Vila Nova-GO na semiinal do torneio, mas perdeu a
decisão para o Santa Cruz, com derrota no Arruda.

Desde 2014, joga a série B. Ficou na metade da
tabela em 2014 (10°) e foi oitavo em 2015, sonhando com o acesso. Volta a jogar
o torneio em 2016.

Continua após a publicidade
Publicidade