Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O “fantasma do desmanche” volta a assombrar o Corinthians

Clube perdeu oito jogadores após o título brasileiro de 2015 e a angustia corintiana é de que cenário se repita no ano que vem

O Corinthians confirmou, neste sábado, que o zagueiro Pablo não joga mais pelo clube. O jogador e o clube não chegaram a um acordo salarial e ele é o primeiro a deixar a equipe após à conquista do Campeonato Brasileiro. O lateral-esquerdo Guilherme Arana negocia com o Sevilla, da Espanha, e até já admitiu que está de saída. A preocupação dos torcedores é que o desmanche de 2015, quando a equipe também foi campeã nacional, não aconteça novamente e pelo mesmo motivo: a péssima situação financeira.

A exorbitante dívida com o estádio em Itaquera impossibilita que o Corinthians tenha tranquilidade no caixa e dificulta na manutenção do time que conquistou o Brasileirão com três rodadas de antecedência. Pablo não permanecerá porque a diretoria considera a pedida salarial do atleta muito alta. Arana é especulado na Europa desde o meio do ano e só não saiu antes por causa da excelente campanha corintiana no primeiro turno do campeonato. O próprio técnico Fábio Carille admitiu, em entrevista a VEJA em setembro, que havia o risco de perder atletas no final do ano. O atacante , artilheiro do Campeonato Brasileiro com 18 gols ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense, e o zagueiro Balbuena são outros que podem sair.

“Se perdermos três jogadores, pegamos outros três. Se perdermos quatro jogadores, pegamos outros quatro. Temos dinheiro para isso? Não. Mas mais importante que o dinheiro é a vitrine que o Corinthians oferece a esses jogadores”, destacou Flavio Adauto, diretor de futebol do clube, logo após a conquista do Brasileirão.

O desmanche de 2015 aconteceu de forma até natural: os interessados faziam uma proposta e o Corinthians não conseguia fazer qualquer contraproposta. Dos 11 jogadores que formavam o time base no título brasileiro daquele ano, apenas três encerram a temporada seguinte como jogadores da equipe e somente dois continuam no clube até hoje: o goleiro Cassio e o lateral-direito FagnerJadson foi atuar na China e retornou em 2017.

A debandada prejudicou o trabalho e o Corinthians acabou 2016 sem nenhum título conquistado e três trocas de comando técnico – algo raro no clube nos últimos anos. O clube trabalha para manter seus principais jogadores e dar a Carille uma base semelhante a deste ano para começar a próxima temporada. Resta saber se a situação financeira vai permitir.