No México, treinador argentino exige que atletas estudem

‘Quem não for à universidade, não joga comigo’, afirmou Matias Almeyda, ex-jogador da seleção argentina, hoje técnico do Chivas Guadalajara

Por Da redação - 26 jan 2018, 10h58

Matías Almeyda, ex-jogador argentino que dirige o Chivas Guadalajara, revelou nesta quinta-feira uma preocupação especial com os novos talentos da tradicional equipe mexicana: com ele, quem não estuda não joga. Ao comentar sobre o bom desempenho dos jovens Ronaldo Cisneros e Javier López, o treinador contou que o clube banca a escola e a universidade dos atletas da base.

“Nós olhamos suas notas porque o clube premia quem traz melhores qualificações e banca seus estudos. Quem tiver notas ruins terá de pagar seu próprio estudo e o jogador que não frequentar a universidade, comigo não vai jogar”, afirmou o Almeyda, que é ídolo do River Plate e atuou por Parma, Lazio, Sevilla, Inter de Milão, seleção argentina, entre outros.

“Há vários detalhes que trabalho com eles, não quero que apenas chutem uma bola. Há uma vida depois do futebol e espero que tenham uma vida normal quando parem de jogar”, afirmou o ex-jogador de 44 anos.

Publicidade