Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

No handebol, Brasil vence a Alemanha

Vitória deixou o Brasil perto da vaga

Por Redação PLACAR - Atualizado em 2 mar 2017, 16h51 - Publicado em 11 ago 2016, 18h38

No futebol, Brasil e Alemanha se equivalem. Em uma Copa, em casa, era esperado dar trabalho para a melhor seleção do mundo, mas perdemos por 7 x 1. No handebol, a Alemanha é um time muito tradicional, primeira colocada do ranking mundial e o Brasil tenta crescer no esporte. Mas o resultado, na Arena do Futuro, foi de vitória do Brasil por 33 x 30.

E o jogo foi muito disputado, com troca de lideres a todo o momento. Com o Brasil abrindo vantagem, a Alemanha abrindo vantagem. No primeiro tempo, os alemães chegaram a abrir 15 x 11, mas no fim da primeira etapa, com um gol de seu campo de defesa, sem goleiro, o Brasil fez 17 x 16 nos rivais.

Os alemães voltaram a abrir vantagem na segunda etapa, fazendo 22 x 19, mas o Brasil voltou a se recuperar e, no final, venceu por 33 x 30.

Nas história dos Jogos Olímpicos, a Alemanha é muito tradicional no handebol. A primeira disputa aconteceu em 1936, nas Olimpíadas de Berlim, com ouro para os alemães. 

Publicidade

Tradicional no país, o esporte voltou em 1972, em Munique. Mas o quarto lugar ficou com a Alemanha Oriental. Em 1976, a Ocidental foi quarto lugar. No torneio de 1980, com boicote dos times ocidentais, a Alemanha Oriental venceu o torneio. Já no de 1984, com boicote dos países do Leste, a prata foi da Alemanha Ocidental. 

Após um tempo sem chegar à semifinal, a Alemanha voltou em 2004, em Atenas, e foi medalha de prata após perder a final para a Croácia. Naquele ano, a Alemanha fez 34 x 21 no Brasil. Em 2008, o time alemão caiu na primeira fase. Já em 2012, como o Brasil, o time sequer participou da disputa.

Em 1996, outro ano em que os times se enfrentaram, a Alemanha fez 30 x 20 no Brasil. 

Nesse ano, a Alemanha vinha de vitórias contra Suécia e Polônia, liderando a chave. Já o Brasil havia vencido a Polônia e perdido para a Eslovênia. Restam os lanternas Egito e Suécia para o Brasil definir sua classificação, que está muito perto, pela primeira vez na história.

Publicidade