Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ninguém forte quer enfrentar o Brasil, diz coordenador da CBF

Seleção tinha amistoso contra a Alemanha, mas europeus desistiram da partida

Por Estadão Conteúdo - 22 mar 2019, 10h21

O coordenador de seleções da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Edu Gaspar, garante que não há no mundo seleções fortes dispostas a enfrentar o Brasil em amistosos. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, ele mostrou uma planilha mapeando as competições dos continentes e o calendário das equipes. Na lista estavam as agendas de possíveis rivais por localização: Conmebol (América do Sul), Uefa (Europa), Concacaf (Américas Central e do Norte), África, Ásia e Oceania.

A dificuldade de encontrar adversários fortes e à altura do Brasil é antiga. “Tentamos amistosos contra rivais fortes da Europa, por exemplo, mas ninguém quer jogar contra o Brasil, mesmo aqueles que estão com datas livres”, disse Edu Gaspar.

A justificativa diz respeito a possíveis derrotas. “As seleções da Europa têm compromissos em torneios regionais e eliminatórias para a Eurocopa. Quando estão livres, não querem encarar o Brasil porque sabem da possibilidade de derrota e, assim, podem perder moral para jogos oficiais”.

Edu Gaspar revela que a Alemanha aceitou jogar contra a seleção, mas depois mudou de ideia. Por isso, segundo ele, sobram os times mais fracos e menos tradicionais.

Continua após a publicidade

De acordo com o ex-jogador, a CBF mapeia também os jogos do futebol brasileiro com a intenção de não prejudicar clubes que estejam disputando partidas decisivas, embora o técnico Tite não tenha nenhum impedimento para não convocar os melhores para a seleção.

Publicidade