Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Neymar volta a Teresópolis após divulgação de acusação de estupro

Uma viatura da Polícia Civil esteve na Granja Comary em busca do jogador neste domingo. O atacante do PSG e sua acusadora terão os celulares periciados

Por Da Redação - Atualizado em 2 jun 2019, 17h53 - Publicado em 2 jun 2019, 15h21

O atacante Neymar voltou à concentração da seleção brasileira para a Copa América neste domingo um dia após a divulgação da notícia de que o jogador do Paris Saint-Germain está sendo acusado de estupro. O crime teria acontecido num hotel na capital francesa. O helicóptero do atleta aterrissou por volta de meio-dia no centro de treinamento da CBF em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, pouco depois do horário previso pelo técnico Tite, que havia dado folga aos jogadores na tarde e noite de sábado. Neymar entrou em um carro assim que desceu do helicóptero e foi levado até o edifício da concentração da seleção ao lado do companheiro de PSG Daniel Alves e do meia do Barcelona Arthur, que viajaram com ele.

Na manhã deste domingo, a Polícia Civil do Rio de Janeiro enviou uma viatura à Granja Comary em busca de Neymar. O delegado da 110ª DP de Teresópolis Bruno Gilaberte e um inspetor de polícia foram recebidos pelo administrador da concentração da seleção e pelo chefe de segurança da CBF, que confirmaram a ausência do jogador. Segundo o site Globoesporte.com, o delegado diz ter transferido o caso para a delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) que, segundo ele, instaurará um inquérito na segunda-feira. O jogador do PSG será investigado pelo artigo 218-C e terá o telefone celular periciado.

– Vou instaurar procedimento, juntar vídeos e mensagens. Inicialmente tentar ouvir o Neymar e buscar o telefone para ver o vídeo sem estar editado, como foi lançado (na internet) – disse o delegado da DRCI, Pablo Sartori, ao Globoesporte.com. O dito artigo do Código Penal criminaliza o ato de “oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio – inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia.”

O crime prevê pena de prisão de um a cinco anos, com aumento de até 2/3 da pena caso o crime seja praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação. Como as imagens divulgadas por Neymar em seu Instagram foram editadas (algumas partes íntimas foram cobertas, assim como horários, datas e até nomes), o telefone celular do atacante terá de passar por uma perícia técnica.

Publicidade

No fim da tarde de sábado, diversos veículos de comunicação já publicavam a notícia de que uma mulher brasileira teria apresentado uma denúncia na Polícia de São Paulo contra Neymar por estupro, após convidá-la em meados de maio a um hotel em Paris. Consultada pela AFP, a Secretaria de Segurança de São Paulo confirmou que uma denúncia foi registrada, mas que toda informação referente ao caso é sigilosa.

O próprio Neymar tomou a palavra no sábado à noite divulgando um vídeo de sete minutos em sua conta pessoal no Instagram, no qual denuncia uma tentativa de extorsão. “Estou sendo acusado de estupro. É uma palavra pesada, uma coisa muito forte, mas é o que está acontecendo no momento”, afirmou o jogador de 27 anos no vídeo compartilhado com seus quase 120 milhões de seguidores no Instagram.

Após afirmar que “jamais faria uma coisa desse tipo”, Neymar dedicou vários minutos a mostrar a suposta troca de mensagens amorosas e eróticas por WhatsApp, entre os meses de março e maio, incluindo fotos da jovem nua ou de roupa íntima.

Segundo a denúncia divulgada primeiramente pelos sites UOL e GloboEsporte, a mulher, que vive no Brasil, afirma ter conhecido o jogador através do Instagram e, depois de várias conversas, Neymar a convidou para viajar a Paris, onde os dois se encontraram em um hotel e ele a teria violentado. Tanto o pai de Neymar como os representantes do jogador, que negaram categoricamente qualquer delito, afirmaram que irão acionar as autoridades.

Publicidade

Especialista diz que Neymar não cometeu crime ao compartilhar fotos íntimas – Para o advogado e professor de Direito Digital do MBA de Marketing Digital da Fundação Getúlio Vargas, Luiz Augusto Filizzola D’Urso, Neymar não cometeu o crime de divulgação de foto de nudez de terceiro, pois todas as fotos da jovem com conteúdo de nudez foram desfocadas no vídeo publicado pelo jogador. “Claramente não há dolo na divulgação das fotos íntimas desta jovem, que foram todas desfocadas. O objetivo do jogador foi defender-se, publicando a íntegra da conversa que manteve com a mulher que o acusa”, afirmou D’Urso.

(com AFP)

Publicidade