Clique e assine a partir de 9,90/mês

Neymar perde na Justiça e tem de devolver R$ 40 milhões ao Barcelona

Clube catalão celebrou a vitória nos tribunais em processo que se refere a um bônus por renovação

Por Da Redação - Atualizado em 19 jun 2020, 10h56 - Publicado em 19 jun 2020, 10h42

Neymar sofreu uma dura derrota nos tribunais nesta sexta-feira, 19. A Justiça da Espanha deu ganho de causa ao Barcelona no processo que o atacante brasileiro moveu cobrando 43,6 milhões de euros (cerca de 260 milhões de reais pela cotação atual) relativos a um bônus de renovação contratual assinado um ano antes de sua ida para o Paris Saint-Germain.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

O Tribunal Social de Barcelona 15 decidiu que o clube catalão não tinha nada a pagar e ainda ordenou Neymar a devolver 6,7 milhões de euros (40 milhões de reais), decisão comemorada pelo Barça nas redes sociais. A defesa do jogador da seleção brasileira ainda pode entrar com um recurso.

A história teve início em 2016, quando Neymar renovou contrato com o Barcelona até 2021, em vínculo que previa o pagamento de um bônus de 64,4 milhões de euros brutos – sendo 20,75 milhões de euros no ato e mais 43,65 milhões de euros a partir de 31 de julho de 2017.

Com a controversa ida de Neymar para o PSG, que pagou a multa rescisória de 222 milhões de euros, negociação mais cara da história do futebol, o Barcelona se viu no direito de não pagar o restante do bônus de renovação, o que levou os advogados de Neymar a processarem o clube catalão. Na visão do Barcelona, se a renovação não se concretizou até 2021, não havia por que pagar o bônus (posição com a qual a Justiça espanhola concordou).

O caso chegou a tramitar na Fifa antes de ir para a Justiça comum e ganhou ainda mais importância no momento em que Neymar admitiu que se arrependeu de ter deixado o clube e tentou forçar um retorno à Catalunha, apoiado pelos velhos amigos Lionel Messi, Luís Suárez, Gerard Piqué e companhia. Houve uma tentativa de acordo, que, assim como seu retorno, não se concretizou.

No fim, a situação estremeceu ainda mais a relação entre clube e atleta. O Barcelona divulgou nesta sexta-feira um comunicado para celebrar a decisão judicial e avisar que “como a defesa do jogador ainda pode apelar da decisão, o clube seguirá defendendo fervorosamente os seus legítimos interesses”.

As duas partes ainda podem se reencontrar nesta temporada, na disputa da Liga dos Campeões, que terá um novo formato, com portões fechados e jogos únicos, a partir das quartas de final, que acontecerá em Lisboa. O PSG já está classificado, enquanto o Barcelona ainda encara o Napoli no jogo de volta das oitavas de final, antes da definição do sorteio das próximas chaves.

Neymar e o filho Davi Lucca visitam Suárez e Messi no CT do Barcelona
Lobby insuficiente: Neymar seguiu visitando Suárez e Messi, mas não conseguiu retornar ao Barça neymarjr/Instagram
Continua após a publicidade
Publicidade