Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Neymar incerto no PSG e brasileiros no Lyon: a volta do Campeonato Francês

A Ligue 1 começa nesta sexta-feira com o clássico entre Monaco e Lyon; atual campeão não sabe se o camisa 10 fica na equipe

Quem pode desbancar o Paris Saint-Germain no Campeonato Francês? A edição 2019/2020 da Ligue 1 começa nesta sexta-feira, 9, com a pergunta em alta mais uma vez. Nenhum dos 19 concorrentes ao título parece ter condições de brigar em pé de igualdade com os atuais bicampeões do país 

Mesmo ainda sem saber se Neymar vai continuar no clube, o PSG conta com um elenco de estrelas. Kylian Mbappé, Edinson Cavani e Angel Di Maria ganharam a companhia de reforços pontuais para a temporada, mas nenhum outro grande craque. Deve ser suficiente para garantir mais um título.

A Ligue 1 começa nesta sexta com um clássico: Monaco e Lyon se enfrentam no Stade Louis II, no Principado, às 15h45. Os atuais campeões só entram em campo no domingo, às 16h, contra o Nímes.

Confira os destaques da temporada 2019/2020 da Ligue 1:

Como assistir

Kylian Mbappé foi o artilheiro do último Campeonato Francês com 30 gols marcados (Jason Cairnduff/Action Images/Reuters)

A Ligue 1 não estará disponível na televisão brasileira mais uma vez. A exclusividade da competição é do serviço de streaming DAZN. O canal online vai transmitir todos os 380 jogos do torneio.

O favorito: Paris Saint-Germain

O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi e o diretor esportivo brasileiro, Leonardo – dupla contida no mercado de transferências desta temporada (Liewig christian/Corbis/Getty Images)

Com um poderio financeiro muito maior do que os concorrentes, a tendência é que o Paris Saint-Germain continue nadando de braçada em busca de mais um título da Ligue 1. A megalomania do bilionário Nasser Al-Khelaifi, o dono do clube, parece ter cessado – ou pelo menos dado um tempo. A equipe da capital só gastou 1 milhão de euros a mais do que recebeu em negociações de jogadores até aqui. A maior compra foi a do zagueiro francês Abdou Diallo por 32 milhões de euros (152 milhões de reais), que veio do Borussia Dortmund. Será uma grande zebra se o PSG, campeão de seis dos últimos sete campeonatos, não conquistar a taça mais uma vez.

O desafiante: Lille

Luiz Araújo, do Lille, comemora gol marcado contra a Roma em amistoso de pré-temporada – 03/08/2019 (Sylvain Lefevre/Getty Images)

O vice-campeão da temporada passada perdeu o seu principal jogador. Nicolas Pépé, autor de 22 gols e 11 assistências no último Campeonato Francês e só atrás dos 30 gols de Kylian Mbappé na artilharia da competição, foi vendido por 80 milhões de euros (355 milhões de reais) ao Arsenal, da Inglaterra. O jovem atacante Rafael Leão, promessa da seleção de base de Portugal, e o volante brasileiro Thiago Mendes também se despediram do Lille. As esperanças da equipe estão depositadas em outros dois importantes jogadores da última campanha: o meia Jonathan Ikoné e o ponta esquerdo Jonathan Bamba. O substituto de Pépé será o atacante Luiz Araújo, ex-São Paulo, reserva na última temporada e que terá mais minutos na nova edição da Ligue 1.

O azarão: Olympique de Marselha

Darío Benedetto é o novo reforço do Olympique de Marselha – 05/08/2019 (Maxime-Alexandre Paul/Olympique de Marseille/Getty Images)

É difícil imaginar que o clube possa brigar de igual para igual com o PSG pelo título. Após uma irregular campanha na última temporada, que culminou apenas na quinta colocação, o Olympique de Marselha não teve nenhuma contratação de impacto na janela. O principal reforço foi o atacante argentino Darío Benedetto, carrasco do Palmeiras na Copa Libertadores do ano passado pelo Boca Juniors. O polêmico italiano Mario Balotelli não teve o seu contrato renovado – e está perto de acertar com o Flamengo. O meia Dimitri Payet e o ponta Florian Thauvin são os destaques do tradicional time de Marselha.

A novidade: Lyon

Sylvinho deixou o cargo de auxiliar da seleção brasileira para assumir a equipe do Lyon, da França (Michael Regan/Getty Images)

Uma legião de brasileiros vai comandar a nova equipe do Olympique Lyonnais. O time francês perdeu nomes importantes na janela, como os meio-campistas Tanguy Ndombélé e Nabil Fekir, e conta com os brazucas Jean Lucas, ex-Santos, e Thiago Mendes, ex-São Paulo como novidades para tentar fazer frente ao bilionário PSG. No comando da equipe, mais brasileiros. Sylvinho, ex-auxiliar de Tite na seleção brasileira, é o novo técnico. Juninho Pernambucano, ídolo do clube e peça fundamental no heptacampeonato francês que o Lyon conquistou no começo do século. A pré-temporada foi de altos e baixos e será mesmo uma grande surpresa se o time conseguir brigar pelo título este ano. 

A incerteza: Monaco

Técnico Leonardo Jardim voltou ao Monaco para salvar o time do rebaixamento na temporada passada e conseguiu. Agora quer recolocar o clube em posição de destaque no futebol francês (Tim Clayton/Corbis/Getty Images)

O Monaco quase foi rebaixado na temporada passada. A equipe do principado ficou na 17ª colocação, uma acima da zona de rebaixamento. A aposta em Thierry Henry como treinador não deu certo e o clube recorreu ao português Leonardo Jardim, responsável por colocar o time na semifinal da Liga dos Campeões há dois anos. A única contratação de peso é a do português Gelson Martins, que já estava no clube por empréstimo desde janeiro e foi contratado em definitivo junto ao Atletico de Madri por 30 milhões de euros (143 milhões de reais). O belga Youri Tielemans deixou a equipe para defender o Leicester, da Inglaterra, por 45 milhões de euros (214 milhões de reais). Com pouca movimentação no mercado, os principais jogadores do time ainda são os experientes Cesc Fàbregas (32 anos) e Radamel Falcao (33 anos). 

E Neymar?

Itália? Espanha? Ou permanece na França? Qual o destino de Neymar? (Nelson Almeida/AFP)

Você deve ter reparado que no tópico sobre o Paris Saint-Germain não falamos sobre Neymar. É de conhecimento público que o jogador não quer continuar na França – como deixou claro o diretor esportivo do clube Leonardo. A janela de transferências já fechou na Inglaterra e acabaram as chances do brasileiro defender o Manchester United, mas a novela envolvendo o camisa 10 da seleção brasileira está longe do fim. Equipes da Itália e da Espanha ainda podem negociar jogadores até o dia 2 de setembro e, apesar do interesse da Juventus, a briga pelo atacante deve ficar entre os rivais Barcelona e Real Madrid. O técnico Thomas Tuchel conta com Neymar para a estreia do PSG. “Ele está conosco e ainda é meu jogador”, afirmou essa semana ao jornal Le Parisien.