Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Morre aos 88 anos ex-goleiro Valdir Joaquim de Morais, ídolo do Palmeiras

Ele estava internado em Porto Alegre desde a terça-feira e teve falência múltipla dos órgãos no início da tarde de hoje

Por Redação - Atualizado em 11 jan 2020, 20h28 - Publicado em 11 jan 2020, 20h23

Morreu no início da tarde deste sábado, 11, aos 88 anos, o ex-goleiro e ídolo do Palmeiras Valdir Joaquim de Morais. Ele estava internado na emergência do Hospital Moinhos de Ventos, em Porto Alegre, desde a terça-feira 7, quando se sentiu mal. Segundo nota divulgada pelo clube paulista, o quadro de saúde de Valdir piorou ao longo da semana e sua morte foi confirmada por falência múltipla dos órgãos.

O ex-goleiro estava com a saúde frágil desde 2016, quando sofreu um AVC. No ano seguinte, ele teve uma fratura no fêmur. De acordo com o comunicado do Palmeiras, o estado do ídolo se agravou nos últimos meses e piorou ainda mais nas últimas semanas.

Ele deixa esposa, dois filhos, dois netos e cinco bisnetos.

O corpo de Valdir Joaquim de Morais será velado no cemitério São Miguel das Almas, na capital gaúcha, entre as 8h30 e as 16h deste domingo, 12. Em seguida, ele será cremado.

Publicidade

Carreira

Nascido em Porto Alegre, Valdir Joaquim de Morais iniciou a carreira em 1947 no Renner, clube da cidade, onde jogou até 1958, quando foi contratado pelo Palmeiras. Ele defendeu a meta do alviverde durante dez anos, em um total de 480 jogos, e é o terceiro goleiro que mais vestiu a camisa do clube, atrás apenas de Emerson Leão, com 617 partidas, e Marcos, com 532.

Publicidade

Com a camisa do Palmeiras, Valdir fez parte do time que encerrou a fila de oito anos sem títulos com a conquista do Campeonato Paulista de 1959, contra o Santos de Pelé. Ele também era o goleiro do clube paulista quando a equipe representou a seleção brasileira no amistoso contra a seleção do Uruguai que inaugurou o estádio do Mineirão, em 1965, vencido pelo Brasil por 3 a 1.

Valdir Joaquim de Morais encerrou a carreira no Cruzeiro de Porto Alegre, em 1969.

Fora das quatro linhas, o ídolo palmeirense é considerado um pioneiro na preparação e treinamentos específicos para goleiros. Ele começou a atuar na função no Palmeiras, na década de 1970, e depois foi para o São Paulo, onde trabalhou entre o início dos anos 1980 e meados dos 1990, quando voltou ao alviverde. Valdir ainda foi auxiliar-técnico de Telê Santana na seleção brasileira nas Copas do Mundo de 1982 e 1986 e coordenador técnico do Corinthians. Sua última passagem pela comissão técnica do Palmeiras terminou em 2011.

Valdir Joaquim de Morais conquistou 42 títulos em sua carreira como jogador e membro de comissões técnicas.

Publicidade