Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ministério Público do Rio pede o afastamento da cúpula da CBF

Órgão entra com ação solicitando a saída do presidente Marco Polo Del Nero e de outros dirigentes devido a irregularidades em assembleia

Por Da Redação - 24 jul 2017, 19h01

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) ajuizou Ação Civil Pública pedindo o afastamento imediato do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo del Nero, de seus quatro vices e do restante da diretoria da entidade. O órgão quer que um interventor indicado pela Justiça assuma a gestão da entidade até que o processo seja julgado.

O MP-RJ considera que a confederação cometeu irregularidades em assembleia realizada em março passado e, por isso, pede ainda que os efeitos daquela reunião sejam anulados. Segundo o Ministério Público, a CBF desrespeitou a Lei Pelé ao realizar a assembleia sem respeitar a convocação obrigatória de representantes dos clubes das séries A e B do Campeonato Brasileiro.

A assembleia que alterou o estatuto aconteceu na sede da CBF em 23 de março, dia em que todas as atenções estavam voltadas ao jogo do Brasil diante do Uruguai, em Montevidéu, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. No encontro, apenas os presidentes das 27 federações estaduais estiveram presentes. Eles aprovaram a alteração no estatuto da CBF que mudou as regras para eleição presidencial da entidade.

O novo texto deu diferentes pesos aos votos de federações e clubes. Além disso, ficou mantida uma cláusula de barreira que impede que qualquer pessoa se candidate à presidência da CBF se não tiver o aval de cinco clubes e oito federações.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade