Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Zagueiro Rafa Márquez é acusado de envolvimento com narcotráfico

Ex-jogador do Barcelona seria "testa de ferro" de uma organização criminosa, segundo denúncia do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos

O zagueiro Rafa Márquez, uma das grandes lendas do esporte no México, está na lista de 22 pessoas acusadas nesta quarta-feira pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos por ligações com uma organização de tráfico de drogas. O ex-jogador do Barcelona, hoje no Atlas de Guadalajara, seria um “testa de ferro” (pessoa que aparece como responsável por um determinado negócio, enquanto o verdadeiro líder se mantém no anonimato) de um narcotraficante mexicano.

O órgão americano informou em comunicado que também foram sancionadas 42 entidades mexicanas, incluindo um clube de futebol e um cassino. As sanções são, de acordo com o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, resultado de uma investigação de vários anos contra uma organização supostamente liderada pelo narcotraficante Raúl Hernández Flores.

Além de Rafa Márquez, na lista de acusados está um cantor famoso no país, Julio Cesar Alvarez Montelongo, conhecido como Julión. “Ambos os homens têm relações de longa data com Flores Hernández, e têm servido como figuras para ele e sua organização de tráfico de drogas e têm ativos em seu nome”, informou o Tesouro dos EUA.

Rafa Marquez, de 38 anos, é o capitão da seleção mexicana e, ao longo da carreira, defendeu clubes como Barcelona, Monaco e New York Red Bulls. Desde o ano passado, joga no Atlas de Guadalajara, time da primeira divisão mexicana. Marquez já defendeu o México em quatro edições da Copa do Mundo.

De acordo com o Departamento do Tesouro americano, agências do governo mexicano trabalharam em conjunto, incluindo o Ministério das Finanças do México, para aplicar sanções financeiras. Rafa Márquez não se pronunciou sobre as denúncias até o momento.

Rafael Marquez, do México, comemora após marcar um gol e empatar a partida em 1 a 1.

Rafa Marquez durante a Copa do Mundo de 2010 (veja.com/Reuters)

(com Estadão Conteúdo)