Clique e assine a partir de 9,90/mês

Médico português ataca Cristiano Ronaldo por barriga de aluguel

Antônio Gentil Martins, famoso cirurgião do país, criticou o jogador por ter filhos "sem mãe"

Por Da redação - Atualizado em 18 jul 2017, 12h13 - Publicado em 15 jul 2017, 18h14

Um dos mais conceituados cirurgiões de Portugal, célebre também por opiniões ofensivas (considera homossexualidade “aberração”), o cirurgião Antônio Gentil Martins criticou o jogador Cristiano Ronaldo, a quem chamou de “estupor moral”, por “privar” seus filhos da convivência com as mães biológicas. O futebolista é pai de três filhos, um menino de 7 anos e um casal de gêmeos nascidos nos mês passado, todos gerados a partir de barriga de aluguel.

“É um excelente atleta, tem mérito imenso, mas é um estupor moral, não pode ser exemplo para ninguém”, afirmou o médico, em entrevista ao jornal Expresso publicada neste sábado. “Toda a criança tem direito a ter mãe”, disse Gentil Martins, conhecido por ser primeiro a separar gêmeos siameses no país europeu.

Protocolo comum em nascimentos por barriga de aluguel, as mães dos filhos de Cristiano Ronaldo não têm a guarda dos filhos. Segundo a imprensa portuguesa, a mulher que gerou os recém-nascidos foi escolhida através de uma empresa e assinou um contrato com o jogador para abdicar dos direitos sobre as crianças.

O médico foi ainda mais longe em suas declarações polêmicas e culpou a mãe de Cristiano Ronaldo, Dolores Aveiro, pela sua escolha de paternidade solitária: “Penso que uma das grandes culpadas disto é a mãe dele. Aquela senhora não lhe deu educação nenhuma”.

Continua após a publicidade

Na mesma entrevista, o aclamado de cirurgião de 87 anos também fez comentários ofensivos sobre a homossexualidade: “Se me perguntam se é correto? Acho que não. É uma anomalia, é um desvio de personalidade. Como os sadomasoquistas ou as pessoas que se mutilam”, disse ao jornal português. As declarações de Gentil Martins geraram controvérsia na redes sociais e pedidos de intervenção por parte da Ordem dos Médicos de Portugal.

Publicidade