Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Maratona Palmeiras: os efeitos do calendário no desempenho dos atletas

Nenhum clube no mundo jogou tantas vezes em 2021. A PLACAR, coordenador científico alviverde detalhou estratégias para driblar o cansaço

Por Guilherme Azevedo Atualizado em 14 Maio 2021, 09h49 - Publicado em 14 Maio 2021, 08h00

Há anos apontado como um dos vilões do futebol nacional, o calendário tornou-se ainda mais cruel, quase desumano, em tempos de pandemia. Quanto mais um clube avança nas competições, maior será o sofrimento com viagens, noites mal dormidas e a necessidade de vencer partidas sem ter tempo para treinar e acertar o time. Campeão da Libertadores e da Copa do Brasil de 2020 encerradas apenas neste ano o Palmeiras sente na pele os efeitos da maratona.

Os jogos adiados e paralisações encurtaram as férias dos atletas e praticamente acabaram com descanso entre uma partida e outra. Apenas em 2021, o clube alviverde já entrou em campo 38 vezes, média de 1 jogo a cada 3,5 dias, fator que interfere de forma significativa no desempenho do time. Como comparação, o Flamengo, seu principal concorrente a títulos, e o Corinthians, seu histórico rival, fizeram, cada um, oito jogos a menos.

“É duro, pesado, temos de pensar no presente e no futuro, na gestão de energia. A cada jogo, entra em campo quem está com força máxima. É humanamente impossível.”, desabafou o português Abel Ferreira, treinador do Palmeiras. Diante do calendário caótico, todas as comissões,  técnica, científica e médica, tiveram de se adaptar. Além da quantidade imensa de jogos em poucos dias, o Palmeiras encarou viagens longas.

Os palmeirenses, portanto, vêm sentindo o baque. Não se trata de “frescura”, mas pura ciência. Em entrevista exclusiva a PLACAR, o coordenador científico Daniel Gonçalves explicou algumas de suas estratégias: “Para diminuir os efeitos do calendário, realizamos reuniões e avaliações periódicas. Analisamos cada jogo, logística e caso, para que consigamos saber a situação de cada atleta, evitando uma carga mais elevada que possa vir a acarretar uma lesão.”

Confira, abaixo, os números da aventura alviverde:

Palmeiras é o clube que mais jogou no mundo em 2021: 38 jogos em 5 meses -
Palmeiras é o clube que mais jogou no mundo em 2021: 38 jogos em 5 meses (Arte: Klaus Richmond) Arte/Placar

Entre 18 de janeiro e 19 de fevereiro (época de viagens longas no Brasileirão e no Mundial de Clubes) a equipe percorreu 31.632 km em linha aérea. Para piorar, jogadores se infectaram com a Covid-19 (o Palmeiras foi o 3º com mais casos no Brasileirão 2020, com 24 no total), o que desfalcou a equipe e ainda pode ter deixado sequelas no corpo dos atletas, por se tratar de um vírus desconhecido.

O contexto, portanto, joga contra. No entanto, com um elenco que permita girar o time inicial, bons reforços da base, uma boa estrutura e profissionais qualificados, o Palmeiras tem conseguido, ainda assim, brigar por todos os campeonatos.

Ciência em campo

Os jogadores Giovani, Gabriel Menino e Zé Rafael se preparam para o jogo contra a equipe do Mirassol, pelo Campeonato Paulista -
Os jogadores Giovani, Gabriel Menino e Zé Rafael se preparam para o jogo contra a equipe do Mirassol, pelo Campeonato Paulista – Cesar Greco/S.E. Palmeiras

O coordenador científico Daniel Gonçalves, alertou sobre a possibilidade de queda do desempenho de atletas, já que os aspectos técnicos estão umbilicalmente ligados à condição física. Além disso, toda a equipe médica avalia os jogadores contaminados pela Covid-19, monitorando qualquer comprometimento no corpo dos profissionais.

Continua após a publicidade

Segundo Daniel, há outro fator importante, muitas vezes ignorado pelos críticos: o isolamento social, que afasta o jogador de seus familiares e amigos, causando danos psicológicos que também afetam a mente e o corpo.

“Um jogo de futebol promove uma fadiga bastante acentuada, porque o atleta é exigido em potência e resistência, o que causa dano muscular e metabólico. Além da exigência intelectual e mental, pois uma partida é um jogo de oposição, que você precisa de estratégias para vencer o adversário”, explica Daniel Gonçalves.

O coordenador científico ressalta que, conforme mostra a literatura médica, a real recuperação física de um atleta demanda, no mínimo, intervalo de três dias entre um jogo e outro. Assim, invariavelmente, os jogadores vêm atuando sem recuperação adequada (nas últimas semanas, foi comum ver o clube em campo dia sim, dia não). Dessa maneira, é possível perceber uma queda no “nível do jogo”.

  • Segundo Daniel, o Palmeiras busca adequar intensidades e frequências de treinos, além de poupar atletas de jogos que poderiam representar risco físico. O caráter decisivo da maioria dos jogos é outro fator a ser considerado. “Em jogos assim, sem dúvidas há maior tensão física, mental e emocional. Por isso, contamos com o trabalho de nossa psicóloga Gisele, que tenta amenizar a ansiedade e os impactos psicológicos. Na conduta recuperativa, contamos também com os profissionais da fisioterapia.”

    Delegação do Palmeiras durante exame de Covid-19, no hotel de concentração da equipe, em Quito -
    Delegação do Palmeiras durante exame de Covid-19, no hotel de concentração da equipe, em Quito – Cesar Greco/S.E. Palmeiras

    Estratégia para competir

    Na última terça-feira, 11, o Palmeiras venceu o Independiente del Valle, do Equador. A partida foi disputada na altitude, fator que afeta o desempenho do atleta. Daniel explicou que, sabendo das condições, o Palmeiras adquiriu uma expertise de trabalho, utilizando de fatores táticos para amenizar o “peso” do ar rarefeito.

    O técnico Abel Ferreira chegou a admitir que planejou a equipe de forma mais cautelosa que o habitual. “Minha função é estudar adversários e entender que as equipes que vieram aqui recentemente não conseguiram ganhar. Os que vieram e procuraram jogo em alta intensidade, com bloco alto, saíram daqui humilhados.”

    Além disso, trabalhando com o Departamento Médico e a Nutrição do clube, é possível preparar com suplementação, alimentação e hidratação, diminuindo, cada vez mais, os efeitos da altitude. Ainda assim, o Palmeiras sofre com uma cultura imediatista que permeia o futebol brasileiro. Neste ano, ao poupar no Campeonato Paulista, nem sempre conseguiu bons resultados e uma possível eliminação na primeira fase foi tratada por alguns torcedores e jornalistas como vexame.

    Atualmente, o Palmeiras está na segunda fase do Paulistão e classificado, de maneira antecipada, às oitavas de final da Copa Libertadores. Nesta sexta-feira, faz seu 39º jogo no ano, diante do Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista, em jogo único valendo vaga na semifinal do Estadual.

    Jogadores do Palmeiras durante desembarque para disputa da Libertadores, em Quito -
    Jogadores do Palmeiras durante desembarque para disputa da Libertadores, em Quito Cesar Greco/S.E. Palmeiras
    Continua após a publicidade
    Publicidade