Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Manifestantes protestam contra eleição do Vasco em frente ao TJ-RJ

Grupo de apoiadores de Leven Siano, candidato derrotado na Justiça, pediram anulação do pleito vencido por Jorge Salgado

Por Klaus Richmond Atualizado em 7 jan 2021, 18h59 - Publicado em 7 jan 2021, 18h55

Torcedores do Vasco protestaram nesta quinta-feira, 7, contra a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), que negou o recurso para a legitimação da votação que elegeu o advogado Luiz Roberto Leven Siano como novo presidente do clube, no último dia 7 de novembro, passando a valer a votação seguinte, de forma virtual, realizada uma semana depois e vencida pelo candidato Jorge Salgado.

“É uma manifestação em prol do estatuto, para que o estatuto seja cumprido somente, nada além. O Conselho Deliberativo do clube negativou a possibilidade de uma eleição online e, depois, passaram por cima disso. Fizeram isso, um pleito com menos votantes online do que presenciais na data anterior, sendo que no dia 14 São Januário já deveria estar fechado exclusivamente para eleições municipais”, disse o organizador, Jaques Marcel Fernandes.

De acordo com Fernandes, cerca de 300 vascaínos estiveram presentes no local para pedir que o estatuto fosse cumprido, dando vitória a Leven Siano. Ele alega que um dos desembargadores do Tribunal é amigo pessoal e integra a chapa “Mais Vasco”. “Foi levantada uma denúncia importante, que coloca em dúvida a decisão, uma vez que um dos desembargadores do Tribunal é amigo pessoal e faz parte de uma das chapas. Causa estranheza essa ligação”, explica.

Leven Siano, no entanto, disse publicamente que aceitaria a decisão do TJ, abrindo caminho para Salgado ser o sucessor de Alexandre Campello. Após o resultado, Leven afirmou em nota  que estava “se aposentando” da política do clube, alegando que recorrer “apenas alimentaria a esperança do torcedor, sem que houvesse uma chance real de reversão”.

A confusão começou no dia 7 de novembro, data da eleição presencial em São Januário. O pleito foi interrompido antes do fim devido a uma decisão do presidente do STJ, Humberto Martins, que mandou suspender o pleito, alegando que a reunião poderia gerar danos em razão da pandemia de Covid-19. A contagem foi realizada já na madrugada do dia 8 e Leven, da chapa Somamos, recebeu 1155 votos, 234 a mais que Jorge Salgado, segundo colocado, da chapa Mais Vasco.

Com a votação invalidada, foi convocada uma nova eleição, virtual, no dia 14 de novembro. Desta vez, Leven, Alexandre Campello e Sérgio Frias optaram por não participar e a disputa ficou apenas com Jorge Salgado e Julio Brant, da chapa Sempre Vasco – o último contava com apoio do amigo Flávio Bolsonaro. Salgado levou a melhor, mas minutos depois o STJ cassou a liminar do dia 7 e determinou que o caso retornasse ao TJ-RJ.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade